AnaMaria
Famosos / Imortal

Gilberto Gil assume cadeira de imortal na Academia Brasileira de Letras

Cantor Gilberto Gil é o segundo homem negro a ocupar um lugar na ABL

Da redação Publicado em 09/04/2022, às 13h34

Gilberto Gil ocupa a cadeira 20 da ABL - Instagram/@gilbertogil
Gilberto Gil ocupa a cadeira 20 da ABL - Instagram/@gilbertogil

Gilberto Gil, de 79 anos, assumiu a cadeira de 'imortal' na Academia Brasileira de Letras (ABL), na noite da última sexta-feira (8), no centro do Rio de Janeiro (RJ). 

O cantor foi eleito ainda em novembro passado para ocupar a cadeira 20 da ABL, que era do jornalista Murilo Melo Filho. Na ocasião, ele recebeu 21 votos dos 34 possíveis. Com isso, o compositor se tornou o segundo membro negro da instituição, além de ser o primeiro representante da música popular brasileira.

"Entre tantas honrarias que a vida generosamente me proporcionou essa tem para mim uma dimensão especial, não só porque aqui é a casa de Machado de Assis, um escritor universal, afrodescendente como eu, mas também porque a ABL, fundada em 20 de julho de 1897, representa mesmo para quem a critica a instância maior que legitima e consagra de forma perene a atividade de um escritor ou criador cultura em nosso país", disse.

Na sequência, ele fez uma crítica ao atual cenário brasileiro, que desvaloriza o setor cultural. "Poucas vezes na nossa história republicana o escritor, o artista, o produtor de cultura, foram tão hostilizados e depreciados como agora. Há uma guerra em prol da desrazão e do conflito ideológico nas redes sociais da Internet, e a questão merece a atenção dos nossos educadores e homens públicos."

IMORTAL 

Em março deste ano, Fernanda Montenegro, de 92 anos, também tomou posse na ABL. A atriz foi eleita para ocupar a cadeira 17, sucedendo o diplomata Affonso Arinos de Melo Franco.

“Emocionada, tomo posse da cadeira número 17. Sou atriz, venho desta mística arte arcaica que é o teatro. Sou a primeira representante da cena brasileira a ser recebida nesta casa. Esse meu ofício expressa uma estranheza compreensão. A raiz dessa arte está na complexidade de só existir através do corpo e da alma de ator ou de uma atrizao trazer a literatura dramática para a verticalidade cênica”, disse na cerimônia.