AnaMaria
Famosos / Luta

Gilberto Nogueira sobre Dia da Luta Contra LGBTfobia: ''Estar vivo é nosso maior ato de resistência''

O ex-BBB falou sobre a importância de se combater o proconceito

Da Redação Publicado em 17/05/2021, às 14h54 - Atualizado às 15h19

Gilberto Nogueira - Instagram/@gilnogueiraofc | Isabella Pinheiro
Gilberto Nogueira - Instagram/@gilnogueiraofc | Isabella Pinheiro

O Dia Internacional de Luta Contra LGBTfobia é celebrado nesta segunda-feira (17) e, com isso, Gilberto Nogueira compartilhou um texto nas redes sociais sobre a importância de se falar sobre o assunto. 

"Neste dia de combate à LGBTfobia que seja, mais que tudo, um dia de reflexão. O Brasil é um dos países que mais mata pessoas LGBT no mundo e estar vivo é ainda o nosso maior ato de resistência. NÃO DEVERIA SER ASSIM. HOMOFOBIA É CRIME!", escreveu o ex-BBB em seu Twitter oficial.

Já no Instagram, o economista complementou a mensagem: "Que o meu corpo e a minha voz sejam instrumentos de mudança. Assim como foi daqueles que vieram antes de mim. E que a sociedade entenda que ninguém vai poder querer nos dizer como amar".

ATAQUE HOMOFÓBICO 

Gilberto Nogueirafoi alvo de homofobia por um dos conselheiros do Sport de Recife, seu time de coração. Em um áudio que repercutiu nas redes sociais na última sexta-feira (14), o homem ofende o economista após ele ser homenageado pelo clube e participar de ações no estádio.

“Fiz a solicitação formal, porque este senhor [Gil] não pode representar o Sport. Ele não tem respeito por ninguém, ofende diretores, técnicos, jogadores, e, agora, parte da nossa torcida. Não há espaço para quem pensa dessa forma”, diz a pessoa no áudio. 

Além disso, o homem reclama da repercussão dos vídeos de Gilberto nas redes sociais, em que o ex-BBB aparece brincando com os jogadores e dançando o famoso 'tchaki tchaki' no estádio.

"1,2 milhões de pessoas achando que o Sport só tem viado. Se tivesse feito essa dancinha na casa dele ou no Bordel, eu não estava nem ai. Foi dentro da Ilha do Retiro, né, rapaz? Isso é ausência de vergonha na cara. É isso o que estamos vivendo. Não tem mais respeito por pai e filho. É depravação. É o retrato do que o PT [ Partido dos Trabalhadores] deixou pra gente", conclui.

Nas redes sociais, Gilberto se pronunciou sobre o caso: "Primeiro ataque homofóbico que me deparo após o BBB e posso garantir, ainda machuca MUITO! Mas sigo firme e providências serão tomadas. Tirando o dia off para não perder minha alegria por tudo que venho vivendo... É muita dor".