AnaMaria
Famosos / Novela

Joaquim Lopes recorda papel de sucesso em ‘Império’: ''Foi um grande desafio''

“Eu quis representá-lo com toda a sua agressividade, violência e ignorância”, contou o ator

Da Redação Publicado em 24/06/2021, às 15h22 - Atualizado às 15h22

Joaquim Lopes deu vida a Enrico em 'Império' - Gshow
Joaquim Lopes deu vida a Enrico em 'Império' - Gshow

Os telespectadores da TV Globo estão podendo acompanhar novamente as reviravoltas de ‘Império’, que está sendo reprisada em horário nobre. Quem aproveitou o momento para relembrar seu papel na trama foi Joaquim Lopes, que dava vida a Enrico, um empresário ambicioso e extremamente preconceituoso, mas que cultiva uma paixão por Clara (Andreia Horta).

Em entrevista ao Gshow, o ator contou como foi gravar uma de suas cenas mais marcantes da carreira. A história, em questão, retratou o término repentino de seu noivado com a filha do comendador José Alfredo (Alexandre Nero) e a tensa discussão com o pai, Claudio Bolgari (José Mayer) - que vivia em pé de guerra com o filho devido a sua sexualidade. 

“Nossa, lembro que foi um dia intenso. Gravamos essa sequência toda num dia só. Saí desidratado (risos). Lembro muito dos meus parceiros de cena: Suzy, Andréia e Zé (José Mayer), muito generosos comigo”, começou explicando.

Na sequência, Joaquim falou sobre a parceria que tinha com os colegas de elenco,  dentro e fora dos estúdios: “Aliás, durante toda a novela. Lembro muito do Papinha me dando o tempo que eu precisava antes de cada cena. Foi um dia de muito respeito e cuidado”. 

Sem dúvida alguma, a construção do personagem levou muito tempo e esforço do famoso. Em ‘Império’, Enrico era extremamente homofóbico com o pai e não aceitava sua relação com outro homem, o que só trouxe polêmicas para a relação familiar. 

“O Enrico foi um grande desafio. Eu quis representá-lo com toda a sua agressividade, violência e ignorância para que realmente a crítica ficasse evidente. E sinto que ficou”, recordou.

Ainda no bate-papo, Joaquim lamentou que os problemas retratados na novela não se limitem apenas à ficção: “Infelizmente, vivemos em um país onde os crimes LGBTfobia ainda possuem números assustadores”. 

E sobre o desfecho do personagem, ele fez questão de manter mistério para os telespectadores. “Acho que as mudanças acontecem mais para o final. Enrico ainda precisa de vários capítulos para começar a se transformar”, finalizou.