AnaMaria
Famosos / DESABAFO

Joelma relembra agressões de Ximbinha: ‘‘Comprei uma arma de choque’’

Cantora disse que demorou para se separar por pensar no bem dos filhos

Da Redação Publicado em 22/04/2021, às 10h46 - Atualizado às 12h01

Joelma e Ximbinha se separaram em 2015, após denúncias de agressão e traições - Youtube/Canal Sabrina Sato
Joelma e Ximbinha se separaram em 2015, após denúncias de agressão e traições - Youtube/Canal Sabrina Sato

Joelma relembrou o relacionamento conturbado com o guitarrista Ximbinha, que chegou ao fim em 2015, e mandou um importante recado às vítimas de violência doméstica, assim como ela. O assunto veio à tona em vídeo ao canal de Sabrina Sato no YouTube, publicado na última quarta-feira (21). 

A cantora revelou que o “problema” começou logo no início do relacionamento, fazendo com que ela tomasse medidas drásticas para se defender. “Eu lembro que comprei uma arma de choque. Ele quase me jogou lá de cima e me pegou muito de surpresa. Ele tinha problemas sérios, sabe?”, afirmou. 

"Quando me separei dele, ele veio tentar me agredir. Foi aí que meu filho se meteu e me defendeu. Depois de muitos anos ele foi tentar de novo, só que o meu filho não deixou. Por isso, eu resolvi dar fim total", continuou em menção a Yago, de 26 anos. 

Além das agressões, Joelma revelou que também precisava lidar com as constantes traições de Ximbinha: "Você perdoa uma vez, depois acontece de novo e você fica mal". 

Na entrevista, a cantora contou como conseguiu reunir coragem e, finalmente, se separar do agressor. “Eu já estava esgotada, não tinha saída. Eu tinha que fazer isso. Não dá para temer o homem, ele não pode nada perto de Deus. Muitas mulheres me encontram e falam que eu mudei a vida delas por conta daquela decisão. Hoje eu sou feliz, sou livre”, disse. 

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Joelma aproveitou as lembranças do casamento para mandar um recado às mulheres que, assim como ela, sofrem de violência doméstica. “Pode acontecer com qualquer uma, só que você não pode aceitar. Isso eu resolvi tudo, depois vieram outros problemas. Eu lutei muito por causa da minha família e dos meus filhos”, destacou. 

Na sequência, deixou seus conselhos: “A gente tem uma esperança lá no fundo que a pessoa mude e cresça. Mas quando você percebe que a pessoa cada vez piora... A gente não tem o poder de mudar ninguém, chega uma hora que você tem que tomar uma decisão e lutar”.

“Quando eu tomei a decisão, eu falei 'agora é para sempre. Não tem volta. Vou lutar até o fim. Se você não fizer isso, você vai sofrer o resto da sua vida'", finalizou.

Vale mencionar que, para denunciar eventos de violência contra a mulher, basta ligar para o número 180. A Central de Atendimento à Mulher atende todo o território nacional gratuitamente e presta uma escuta e acolhida às vítimas, além de encaminhar as denúncias aos órgãos competentes.