AnaMaria

Juliette Freire, do ‘BBB21’, reflete sobre a vida após a fama: ‘‘Tenho medo desse endeusamento’’

Ex-sister abriu o jogo sobre o 'sumiço' das redes sociais e a busca por ajuda

Da Redação Publicado em 27/05/2021, às 08h54 - Atualizado às 08h54

Paraibana foi a convidada do 'Saia Justa' na última quarta-feira (26) - GNT
Paraibana foi a convidada do 'Saia Justa' na última quarta-feira (26) - GNT

Juliette Freire, campeã do ‘BBB21’, foi a convidada da última quarta-feira (26) do programa ‘Saia Justa’, do GNT. No bate-papo com Astrid Fontenelle, Pitty, Gaby Amarantos e Mônica Martelli, a ex-BBB desabafou sobre a vida após a fama, os sentimentos ao vencer o reality show e os rumos que pretende dar à sua carreira daqui para frente. 

Um dos momentos mais marcantes foi quando Juliette refletiu sobre os impactos de deixar o confinamento e descobrir que era idolatrada por mais de 20 milhões de pessoas, os chamados cactos. "É muito bom, mas, ao mesmo tempo, dá muito medo. É tudo gigante, mas fico feliz de saber que as pessoas gostaram de mim apenas pelo que eu sou, que me aceitaram com todas as minhas vulnerabilidades. Espero corresponder a tanto amor e tanta expectativa. Estou tentando com muita boa vontade”, disse

Por outro lado, a paraibana deixou claro que é um ser humano imperfeito e “recusa a ideia de endeusamento" por parte dos fãs: “Eu tenho muito medo desse endeusamento. 'Ai, você é perfeita, você não erra'. Eu recuso qualquer ideia desse tipo veemente. Quando eu escuto, eu já falo: 'Eu erro, eu erro sim, eu quero mostrar meus erros’”. 

Milionária e proprietária do título de ex-BBB com o maior número de seguidores da história, Juliette revelou que nunca sonhou com uma vida de luxo e fama. "Sempre busquei me enxergar como eu realmente era, o que me fazia feliz. Não era uma adolescente que sonhava com o príncipe encantado, vida perfeita, eu tinha o pezinho no chão. Isso me fez me conhecer de verdade. Eu me sentia mais segura e tranquila", contou.

REDES SOCIAIS

Outro assunto que veio à tona durante a entrevista ao ‘Saia Justa’ foram as cobranças feitas à ex-sister para que atendesse às expectativas do público do lado de fora do reality show. Alguns fãs, inclusive, questionaram o porquê da paraibana não aparecer tanto nas redes sociais.

Segundo ela, está enfrentando um “momento de transição” e aos poucos consegue se adaptar às novas responsabilidades. "Nada é automático. Quando eu entrei lá, eu estava perdida. (...) Agora esse período de transição é necessário. Eu preciso reconhecer o terreno que eu tô pisando”, justificou.

Na sequência, mandou um recado aos cactos: “Eles falam muito, os meus cactos, que gostaram de mim porque eu não era igual a todo mundo. Eles precisam entender que eu sou diferente, somos diferentes todos, não tem uma fórmula, não preciso fazer um Stories assim, uma foto assim, não preciso falar o que eu comi, eu posso comunicar de outras formas, eles vão entender. Eles gostaram, a culpa é deles", brincou.

TERAPIA

Outro recurso adotado pela campeã do ‘BBB21’ para lidar com a vida após a fama foi a terapia, a qual ela já havia buscado anteriormente para terminar um relacionamento. "Ele era muito meu amigo. Eu não via motivo, mas o motivo era que eu não estava feliz", explicou. 

Então, logo após deixar o confinamento, a ex-sister buscou o apoio de um padre e um terapeuta: "Estou nessa luta de reconexão comigo. O que mais me assusta é a cobrança, mas comigo mesma eu estou feliz por conseguir ser eu, e deu certo”. 

Ao final, Juliette deixou um importante recado em relação ao atual momento sanitário e político. "Minha gente, pelo amor de deus. Confiem na ciência. Confiem na vacina. Confiem nos médicos. Se protejam. A gente não precisa perder mais ninguém", declarou. Nas mãos, a ex-BBB segurava um cartaz com a frase: "A vacina salva. Não queremos perder mais ninguém".