AnaMaria
Famosos / amor

Luciano Huck homenageia Angélica em aniversário: ''Mulher mais incrível que já conheci''

"Quanto mais tempo juntos, mais fica potente nossa relação", declarou o apresentador

Da Redação Publicado em 30/11/2020, às 11h39 - Atualizado em 09/12/2020, às 10h10

Os dois são casados há 16 anos - Instagram/@lucianohuck
Os dois são casados há 16 anos - Instagram/@lucianohuck

Angélicacelebra 47 anos de vida nesta segunda-feira (30)! Entre as homenagens que ela recebeu nas redes sociais, está a do marido, Luciano Huck.

O apresentador do 'Caldeirão do Huck' (TV Globo) fez questão de se declarar à esposa e compartilhou um clique em que aparecem juntinhos.

"Hoje é o dia dela. Dia de celebrar a mulher mais incrível que já conheci", iniciou ele na legenda da publicação.

Para continuar, Luciano destacou que, por conta do isolamento social, a relação dos dois está mais forte do que nunca. 

"Este ano está sendo um ano difícil, estranho, dolorido para o Brasil e o mundo. Mas ficamos mais juntos do que nunca. Isolados, quarentenados, recolhidos. E quanto mais tempo, quanto mais junto, quanto mais perto fico dela, mais potente fica nossa relação, nossa parceria, nosso amor. Feliz aniversário. Te amo ao infinito e além", completou o apresentador.

Nos comentários, seguidores aproveitaram para elogiar o casal. "Que linda mensagem, que Deus continue abençoando vocês", desejou um deles. "Muito amor e saúde para ela", escreveu outro.

Vale lembrar que Huck e Angélica são casados há 16 anos e têm três filhos: Joaquim, de 15 anos, Benício, de 13 anos, e Eva, de 8 anos.

CRISE DE PÂNICO

Há cinco anos, Angélica, Luciano Huck e os três filhos estavam em um avião particular, quando o piloto precisou fazer um pouso de emergência em uma fazenda no Mato Grosso do Sul (MS). Em entrevista ao jornal O Globo, divulgada em setembro deste ano, a apresentadora falou que um ano depois do susto desenvolveu síndrome do pânico. 

"Quando aconteceu o acidente aéreo, não tive nada. Depois de um ano, quando estava andando na rua, em Nova York, travei de pânico. Liguei para o meu médico, ele receitou um remédio”, relatou. 

Além da medicação prescrita pelo profissional, ela também passou a fazer meditação como alternativa. “Para entrar no avião, tive que tomar os remédios. E foi horrível. Não conseguia andar, não conseguia falar. Quando cheguei, falei: 'Vou procurar uma alternativa'. Comecei a meditar. E o pânico foi embora", contou.