AnaMaria
Famosos / PAIZÃO

Luciano Szafir sobre vontade de ser avô: ‘‘Ansiedade em ver minha filha feliz’’

Nos Stories, ator também comentou sobre as sequelas da covid-19

Da Redação Publicado em 07/10/2021, às 09h31 - Atualizado às 09h34

Sasha, de 23 anos, é casada há quatro meses - Instagram/@sashameneghel
Sasha, de 23 anos, é casada há quatro meses - Instagram/@sashameneghel

Luciano Szafir aproveitou a tarde da última quarta-feira (6) para responder às dúvidas dos seguidores através dos Stories. Entre os assuntos mais perguntados pelos fãs estavam a sua recuperação da covid-19, após ser intubado com 50% do pulmão comprometido, e seus planos para o futuro. 

Um deles, segundo o pai de Sasha Meneghel, é de se tornar avô. “Minha ansiedade é em ver a minha filha feliz. Então, na hora que ela quiser ter filho, eu vou amar, com certeza", afirmou em demonstração de apoio à filha, casada há quatro meses com João Figueiredo

O mais curioso é que a postura do ator é oposta a de Xuxa Meneghel, mãe de Sasha, que revelou o desejo em ser avó o mais rápido possível. “Não queria que demorasse muito para eu poder brincar com ela, que eu possa fazer o que fiz para o filho dos outros com a minha neta”, brincou em entrevista ao podcast ‘De Carona na Carreira’. 

Além disso, Szafir revelou que não pretende ter mais filhos. “Acho que a família está completa com a Sasá, com David, com Mika. Mas não tem nada melhor do que família, filhos, crianças, mas está bom assim", pontuou Szafir, que é casado com Luhanna Melloni

COVID-19

Pouco mais de dois meses após receber alta da covid-19, Luciano Szafir afirmou que ainda enfrenta as sequelas da doença. “A bolsa de colostomia nem me incomoda, porque foi a cirurgia que salvou a minha vida. A pior sequela da covid são as dores que tenho sentido nas pernas, mas isso vai passar também”, garantiu a um seguidor.

O ator também aproveitou para agradecer os profissionais que cuidaram dele durante sua internação. "Todos os profissionais da saúde são anjos, merecem ser muito mais valorizados, salários maiores, merecem tanta coisa que, infelizmente, a gente não dá".