AnaMaria
Famosos / Mãe e filha

Mãe de Vitor Belfort presta homenagem à filha desaparecida há 17 anos: ''Dor e saudade''

Priscila Belfort completou 47 anos no último domingo (5); ela está desaparecida há quase 18 anos

Da redação Publicado em 06/12/2021, às 07h42 - Atualizado às 07h42

Mãe de Vitor Belfort presta homenagem à filha desaparecida - Instagram/@jovitabelfort
Mãe de Vitor Belfort presta homenagem à filha desaparecida - Instagram/@jovitabelfort

Jovita Belfort, mãe do lutador Vitore de Priscila Belfort, prestou uma homenagem à filha, no último domingo (5), data do aniversário de 47 anos da primogênita. No Instagram, a matriarca reuniu diversas fotos de Priscila e lamentou a saudade. 

"Hoje, minha homenagem vai para a minha filha Priscila que faz 47 anos. Faz 17 anos e, aproximadamente, 11 meses que [ela] está desaparecida. A dor e a saudade me visitam todos os dias, mas hoje apesar da saudade, onde estiver, quero dizer que o amor é eterno e só se tem saudades do que foi muito bom e deixou boas e lindas recordações", escreveu. 

Na sequência, Jovita relembrou o dia que deu à luz Priscila. "A maior delas foi esse dia, onde acompanhei todo o parto e foi muito emocionante porque sonhava com o rostinho que era o dela mesmo e pude colocar nos meus braços nos seus primeiros minuto de vida", disse. 

Para concluir, a mãe de Vitor Belfort agradeceu pelo tempo em que pôde estar ao lado da filha fisicamente: "Agradeço a Deus todos os 29 anos que tivemos juntas fisicamente e por me manter viva e consciente mesmo com o coração partido para te procurar. Te amo."

APELO
Em janeiro, Vitor Belfort fez um apelo por Priscila e pelas mais de 80 mil pessoas que desaparecem por ano somente no Brasil. "Há 17 anos, minha mãe, Jovita, deixou minha irmã no trabalho e, desde então, ela está desaparecida", iniciou ele na legenda de um vídeo em que aparece ao lado da esposa Joana Prado e dos três filhos, que não chegaram a conhecer a tia. 

"Esta mensagem é para todos os gurus da tecnologia por aí: temos que criar maneiras para que possamos diminuir esse número e acabar com a indústria do tráfico sexual / indústria do tráfico humano / adoções ilegais e tráfico de órgãos", disse ele.

Priscila Belfort foi deixada pela mãe Jovita Belfort em seu trabalho na Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, no Centro do Rio, em 2004. No mesmo dia, ela saiu para almoçar e nunca mais foi vista. 

Nunca houve um pedido de resgaste e desde então Victor e Joana divulgam o caso para conscientizar o público sobre o desaparecimento de pessoas.