AnaMaria
Famosos / Zoeira!

Marcelo Adnet imita Bolsonaro em áudio para caminhoneiros: ''Comecem a dançar ‘Macarena’’’

Humorista ironizou mensagem enviada pelo próprio presidente algumas horas antes

Da Redação Publicado em 09/09/2021, às 17h09 - Atualizado às 17h11

Marcelo Adnet decidiu gravar um 'áudio do zap' se passando por Bolsonaro - Reprodução/Youtube | Andressa Anholete/Getty Images
Marcelo Adnet decidiu gravar um 'áudio do zap' se passando por Bolsonaro - Reprodução/Youtube | Andressa Anholete/Getty Images

Marcelo Adnet usou seu talento primoroso para imitação para ironizar nada mais, nada menos, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O humorista gravou um áudio, nesta quinta-feira (9), pedindo para que os caminhoneiros, que estão em greve em estados do Brasil, dancem ‘Macarena’. 

Mais cedo, o político havia gravado um vídeo agradecendo o apoio dos trabalhadores, mas pedindo que eles parassem com a greve, pois ela afetaria negativamente a economia do país. Poucas horas depois, Adnet deu sua contribuição, dizendo que o áudio anterior era “falso”.

"Gostaria até de pedir aí que encaminhe esse áudio a todos os caminhoneiros que estão com a gente nessa questão. O que eu tenho a dizer aí que o áudio que circulou ai é falso, tá ok? Esse sim que é o verdadeiro, e para vocês permanecerem aí, e começarem a dançar 'Macarena', agora, 3h15 da manhã, e não pararem mais. Quero ver ninguém na boleia! Todos pra fora dançando 'Macarena' até aquele outro lá pedir pra sair”, disse.

RECADO DE JAIR BOLSONARO
Segundo a liderança da categoria (que não apoia a paralisação), a maioria das graves foram realizadas por grupos pró-Bolsonaro, incentivados pelas manifestações do dia 7 de setembro. Estradas de cerca de 15 estados do país foram bloqueadas pelos manifestantes.

O presidente, então, pediu para os ‘aliados’ liberarem os espaços, uma vez que a atitude atrapalharia a economia, especialmente os mais pobres.

"Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, em especial os mais pobres. Dá um toque nos caras aí para liberar. Deixa com a gente em Brasília aqui agora. Não é fácil negociar com outras autoridades, mas vamos fazer nossa parte, vamos buscar uma solução para isso" afirmou o presidente.

Apesar do áudio ser confirmado pelo ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas em filmagem, muitos apoiadores duvidaram da veracidade da gravação. Por isso, a maioria segue em paralisação.