AnaMaria
Famosos / Luto

Padre Fábio de Melo confessa ter mentido para a mãe antes dela morrer

Dona Ana Maria Melo foi vítima da covid-19, aos 83 anos

Da Redação Publicado em 05/04/2021, às 09h39 - Atualizado às 09h39

Padre Fábio e a mãe, dona Ana Maria Melo - TV Globo
Padre Fábio e a mãe, dona Ana Maria Melo - TV Globo

Padre Fábio de Melo ainda está lidando com a dor de ter perdido a mãe, Dona Ana Maria Melo, para a covid-19. No entanto, em entrevista ao 'Fantástico', na noite do último domingo (4), o religioso revelou, com bom humor, que precisou contar uma mentira para a matriarca antes dela morrer. 

"Eu disse pra ela assim: 'Mãe, a senhora vai dormir agora um pouquinho, que a senhora está muito cansada, e quando a senhora acordar, eu prometo pra senhora que vai estar tudo bem. Não vai ter mais falta de ar, a senhora vai estar pronta para ir para casa", relembrou. 

Fábio disse que tinha consciência de que Ana sabia que ele estava mentindo. "Mas ela foi tão generosa comigo, que ela quis se despedir de mim da forma como ela sempre fez, me amando tão generosamente, tentando me proteger de tudo que pudesse me fazer sofrer", contou. 

O padre recordou ainda que a mãe "entrou" na mentira para animá-lo e que sabia que aquela era a despedida final. "Ela falou assim: 'Ah, meu filho, é isso mesmo. Tô doida pra dormir um pouquinho' [...] A última chamada de vídeo dela pra mim, ela brincou, dançou, fez coraçãozinho [com a mão] para mim, disse que me amava, que eu morava no coração dela."

Dona Ana morreu aos 83 anos, no último dia 27. Ela chegou a ser internada e intubada, mas não resistiu. 

ÚLTIMAS PALAVRAS
Emocionado, Fábio de Melo relembrou as palavras que trocou com Ana na última chamada de vídeo que fez com ela. 

"Me disse assim: 'Eu amo muito você, meu filho, você mora no meu coração, e nada vai mudar isso'. 'Nem a morte', eu pensei depois que ela se foi. Fiquei voltando àquelas palavras dela, e ela tinha razão", refletiu. 

PIOR PARTE
Padre Fábio também esteve no 'Domingão do Faustão', no último domingo (4), e ressaltou que a pior parte de perder a mãe foi não poder proporcionar um velório e um enterro apropriado, já que ela sempre pediu aos filhos que a vestissem com a roupa mais bonita para a despedida.

"Pra mim foi a maior dor do mundo olhar aquele caixão lacrado e saber que ali estava o corpo que foi o meu corpo, a mulher que me ensinou a ser quem eu sou. E não poder dizer adeus, não poder dizer 'mãe, foi muito bom ser seu filho", disse.

Além disso, o religioso afirmou que as mortes por covid-19 são mais dolorosas porque já existem vacinas contra a doença. Dona Ana chegou a tomar a primeira dose do imunizante. No entanto, ela já estava infectada com o coronavírus dias antes de ser vacinada.

A gravação do dominical aconteceu na sexta-feira (2) e já estava marcada antes mesmo de Ana partir. Para Fábio, participar da atração era uma maneira de homenageá-la. 

"É muito especial estar aqui hoje, quero te agradecer pela oportunidade de cantar isso, de cantar essa mensagem de amor e de ressurreição para tantas pessoas que nesse Brasil hoje carecem de ressuscitar as suas esperanças, seus sonhos e o que há de mais bonito em nós", comentou o padre após cantar Jesus Cristo, de Roberto Carlos