AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Paolla Oliveira se revolta com juíza que impediu aborto de criança abusada: “sucessão de violências”

Nas redes sociais, Paolla Oliveira criticou fortemente atitude da juíza do caso

Da Redação Publicado em 21/06/2022, às 20h15

Paolla Oliveira se revolta com juíza que impediu aborto de criança abusada - Instagram/@paollaoliveirareal e Solon Soares/Reprodução
Paolla Oliveira se revolta com juíza que impediu aborto de criança abusada - Instagram/@paollaoliveirareal e Solon Soares/Reprodução

Paolla Oliveira foi mais uma entre os famosos a se pronunciar contra a atitude da juíza Joana RIbeiro Zimmer, que impediu uma criança de 11 anos, grávida após estupro, de realizar o procedimento de aborto legal em Santa Catarina.

Por meio de suas redes sociais, a atriz compartilhou duas fotos com a bandeira do Brasil e as frases “criança não é mãe” e "estupdrador não é pai". Na legenda da publicação do Instagram, a musa da Globo escreveu uma longo texto sobre o assunto, mostrando-se enojada com a atitude da juíza.

"É muito difícil pra uma mulher ler tudo que está relacionado a esse caso. Imagine para uma menina, uma criança, estar vivendo isso. E quando eu falo em mulher, falo de ser humano, não de alguém como essa juíza que induz e coage uma criança a ter uma gravidez indesejada", iniciou Paolla.

“Assisti ao vídeo da audiência agora pouco e estou estarrecida de revolta, de raiva e de tristeza.Não basta toda a violência sofrida por essa criança? Como essa juíza pode achar que a felicidade e dignidade de uma criança (e consequentemente de toda sua família) é menos importante que a felicidade de um casal adotante que nem existe ainda? Como alguém pode olhar no rosto de uma menina em sofrimento absoluto e não protegê-la? Não acolhê-la? É nojento”, continuou.

Em seguida, a atriz falou sobre o fato da mãe da criança ter sido separada dela quando procurou um hospital para realizar o aborto. “Uma mãe leva sua filha para o hospital e acaba sendo separada dela. É uma sucessão de violências e humilhações absurdas”.

Por fim, Paolla Oliveira escreveu: Criança não é mãe, criança não é incubadora. Estuprador não é pai, estuprador é criminoso. Que se faça a justiça que essa juíza não foi capaz e não teve interesse de fazer. Que se desfaça a violência que essa juíza cometeu”.

Confira a publicação na íntegra:

{# Taboola Newsroom #}