AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Renata Capucci revela diagnóstico da Doença de Parkinson: “Não é o fim”

A jornalista Renata Capucci contou ter recebido o diagnóstico há quatro anos.

Da Redação Publicado em 27/06/2022, às 09h46

Renata Capucci revela em podcast que teve o diagnostico há quatro anos - Instagram/@renatacapucciofficial
Renata Capucci revela em podcast que teve o diagnostico há quatro anos - Instagram/@renatacapucciofficial

Renata Capucci, jornalista da TV Globo, participou do podcast ‘Isso é Fantástico’ no último domingo (26), e revelou que foi diagnosticada com Doença de Parkinson há quatro anos. A apresentadora de 49 anos disse ter pensado muito sobre o momento de divulgar a informação.

“Sabia que ele iria chegar e que vinha na hora certa, quando eu me sentisse exatamente como eu me sinto hoje: forte, confiante e feliz. Não é fácil. Mas não é o fim. Te convido a vencer o preconceito e a desinformação sobre essa e outras doenças neurodegenerativas que acometem tanta gente - como eu - no nosso podcast Isso é Fantástico", ressaltou.

Renata ainda explicou que chegou a hora de falar, porque ser muito ruim viver com esse segredo, além de sentir que estava vivendo uma vida fake. “Eu fui diagnosticada com doença de Parkinson em outubro de 2018, quando eu tinha 45 anos. Hoje, eu tenho 49", contou.

No podcast, a apresentadora também detalha o começo da doença. "Eu estava no meio do programa ‘Popstar’, que participei e eu cantava. Comecei com o diagnóstico um pouquinho antes. Eu comecei a mancar e as pessoas falavam para mim: ‘Por que você está mancando, Renata?’. E eu falava: ‘Eu não estou mancando’. Eu não percebia que eu estava mancando. Aí fui fazer fisioterapia, osteopatia e a coisa não mudou”, explicou.

No meio do sexto programa do ‘Popstar’, Renata conta que estava em casa e o seu braço subiu sozinho, enrijecido. “Meu marido que é médico, logo depois do programa, me levou para um hospital que tinha emergência neurológica e eu fui diagnosticada com Parkinson. Aquilo caiu como uma bigorna em cima da minha cabeça", disse a jornalista, no podcast.

Ela confessa que já passou por todas as fases da depressão e da rejeição, mas se orgulha da maneira como encara a doença. “Eu faço tudo o que eu posso de exercício, de remédio e eu tenho uma vida positiva. Me sinto feliz, apesar de tudo. Eu não sou café com leite por ter doença de Parkinson, eu faço todas as matérias. Não me sinto diminuída”, concluiu Renata.

PREVENÇÃO

Considerado uma paixão nacional, o café é um ótimo aliado para a saúde. Se consumida em dose certa, esta bebida funciona como um combustível positivo para o organismo. Além disso, pode reduzir taxas de mortalidade. 

O grão de café possui efeitos antidepressivos, ajuda a reduzir o colesterol, combate doenças cardíacas, protege a pele e pode evitar o diabetes.

Se consumido sem exagero, o café pode melhorar, ainda, na concentração, na memória e na atenção, atuando diretamente como preventivo da Doença de Parkinson.

Já os antioxidantes encontrados no café evitam o envelhecimento precoce e outros processos degenerativos. Incrível, não é mesmo?

Para saber mais sobre outros benefícios desse grão e saber como consumi-lo de forma eficaz, confira dicas exclusivas de Karla Precioso, através do podcast oficial da AnaMaria, disponível nas melhores plataformas de áudio. 

Para ouvir outros episódios inéditos, clique aqui!