AnaMaria
Famosos / Eita!

Sabrina Sato sobre sexo 4 vezes na semana: “Não tenho periquita pra isso”

Apresentadora do ‘Saia Justa’ comentou acordo pré-nupcial de Jennifer Lopez e Ben Affleck

Da Redação Publicado em 05/05/2022, às 10h38

Deborah Secco e Astrid Fontenelle também participaram da conversa no ‘Saia Justa’ - GNT
Deborah Secco e Astrid Fontenelle também participaram da conversa no ‘Saia Justa’ - GNT

Sabrina Sato revelou detalhes sobre a vida íntima com Duda Nagle no ‘Saia Justa’ da última quarta-feira (4). O assunto veio à tona quando as outras apresentadoras chamaram atenção para um suposto acordo pré-nupcial entre Jennifer Lopez e Ben Affleck em relação à frequência sexual no casamento.

Segundo o jornal espanhol ‘La Vanguardia’, os atores norte-americanos teriam concordado em fazer sexo, pelo menos, quatro vezes por semana após oficializarem a união. Por sua vez, Sabrina declarou que não conseguiria dar conta do recado no lugar de Jennifer.

"Os dois são realmente muito gostosos. Eu também olho para o Duda e acho lindo, gostoso, maravilhoso. Mas a vontade (...) Eu não tenho nem periquita para isso, para falar a verdade”, brincou ao se imaginar na situação.

Ao que Astrid Fontenelle, uma das comandantes da atração, completou: "E nem eles têm pau para isso. Tudo trabalhado no 'viagra'".

Deborah Secco também estava presente na ocasião e declarou que sente “muito tesão” pelo marido Hugo Moura após sete anos juntos. Ainda assim, a atriz disse que não tem tempo para manter relações sexuais com tanta frequência.

CRISE NO CASAMENTO

Juntos há seis anos, Sabrina Sato afirmou, em entrevista ao 'Conversa com Bial' que nem tudo são flores em sua relação com Duda Nagle. "Casamento é parecido [com o confinamento do BBB]. Principalmente com o Duda. O Duda é taurino. Ele tendo wi-fi, churrasco, fica de boa, sem ver ninguém, dias e dias estudando, assistindo vídeos, entrevistas... Ele é um senhor de 100 anos”, contou ela. 

A apresentadora revelou que, no passado, as brigas frequentes já a levaram a questionar o futuro da união. "Ou a gente vai criar um abismo entre a gente, ou a gente vai criar uma ponte (...) Resolvi voltar para a terapia. Na primeira sessão já comecei a desabar, comecei a chorar. Me perguntei: 'o que eu faço, meu casamento está numa UTI".