AnaMaria

Pudim perfeito: saiba como deixá-lo ainda mais saboroso e sem furinhos

O preparo é um queridinho dos brasileiros, mas é hora de aprender a fazê-lo da forma correta

Marcela Del Nero Publicado em 20/05/2020, às 08h20 - Atualizado em 25/06/2020, às 23h14

As dicas foram passadas pelo chef Diego Sollon, da marca Só Pudim - Divulgação/Yuri Moreira
As dicas foram passadas pelo chef Diego Sollon, da marca Só Pudim - Divulgação/Yuri Moreira

Quem não ama um bom pudim depois de um almoço com a família? É aquele momento para fechar com chave de ouro. 

Essa é uma receita simples, mas que requer alguns cuidados para que a sua execução seja perfeita. Quer saber como fazer? 

Ana Maria Digital conversou com o chef Diego Sollon, do Só Pudim (@sopudimoficial), e separamos dicas imperdíveis para você.

DE ONDE VEIO O PUDIM?
O pudim é uma clássica sobremesa portuguesa que surgiu nos conventos de Portugal no século 16. Quando fomos colonizados, aprendemos a fazer essa receita apenas com ovos e leite, totalmente diferente da atual. Somente após o surgimento do leite condensado que ele ficou conhecido como é hoje, sendo feito basicamente de leite, leite condensado, ovos e açúcar para o caramelo.

O QUE FAZER PARA NÃO TER FURINHOS? É SÓ PENEIRAR?
Há fatores que vão além de apenas peneirar a mistura antes de cozinhar. Devemos levar em consideração a temperatura do forno em que o pudim será assado. A principal maneira de conseguir uma textura lisinha no seu pudim é cozinhando ele em baixa temperatura e de forma lenta.

QUAL A TEMPERATURA CERTA PARA O FORNO E OS INGREDIENTES?
A melhor temperatura para cozinhar um pudim em forno caseiro é mínima, ou seja, 180 ºC. Todos os ingredientes devem estar em temperatura ambiente na hora de colocar a mão na massa. Lembrando de usar insumos de qualidade para que o resultado final seja uma produto de qualidade também.

COMO FAZER PARA A CALDA NÃO FICAR COM GOSTO DE QUEIMADO?
Este é o processo que vai dizer se o seu pudim está gostoso ou não. Ao fazer uma calda, temos que ter o máximo de atenção e se certificar que o aquecimento do açúcar será entre 155 a 190 ºC. Caso não tenha termômetro, basta verificar a cor do seu caramelo. Quanto mais escuro, mais amargo será o resultado final.

É MELHOR BATER NO LIQUIDIFICADOR OU NA MÃO?
Quanto menos aeração você proporcionar a massa do seu pudim, melhor. Batendo manualmente, você tem mais chances de obter um resultado lisinho e deixando sua base brilhosa e homogênea.

NA HORA DO FORNO: É COM TAMPA OU SEM? FAZ EM BANHO MARIA? 
O uso do papel alumínio ou tampa na hora de cozinhar tem como principal função impedir que uma crosta seja criada na base do seu pudim. Já o uso da técnica de assar em banho-maria se dá ao fato de querermos alcançar uma textura cremosa, tendo em vista que usamos gemas na preparação, e esse ingrediente tende a coagular facilmente mediante a um choque térmico brusco, deixando o pudim com aspecto de “talhado”.

DICAS PRECIOSAS

  • Usar ingredientes frescos e em temperatura ambiente;
  • Não despejar a massa do pudim em cima do calda ainda quente;
  • Misturar manualmente todos os ingredientes;
  • Coar as gemas antes de adicionar à mistura. Ao fazer isso, filtramos a “pele” da gema e assim evitamos o “cheiro de ovo”;
  • Despejar a massa pelo cone da forma para evitar que a mesma se misture com a calda;
  • Assar em banho-maria em baixa temperatura;
  • Não colocar água quente para o banho-maria;
  • Nunca desenformar o pudim quente.

Bateu aquela vontade de comer um pudim? Veja essas receitas completas!

Pudim Prático de Leite Condensado
Pudim de Pêssego
Pudim de Chocolate