AnaMaria

'Laços de Família' mantém tardes da Globo em alta e conquista a segunda melhor audiência desde 2009

A novela só perde para sua antecessora, 'Êta Mundo Bom', de Walcyr Carrasco

Da Redação Publicado em 04/01/2021, às 18h06 - Atualizado às 18h07

Os personagens Edu, Camila e Helena em 'Laços de Família' - Roberto Steinberger/TV Globo
Os personagens Edu, Camila e Helena em 'Laços de Família' - Roberto Steinberger/TV Globo

Pelo jeito, o público aprovou a reprise da novela 'Laços de Família', da TV Globo, já que a trama de Manoel Carlos vem alcançando ótimos índices de audiência nas tardes da emissora.

Segundo informações da colunista Patrícia Kogut, do Jornal 'O Globo', o folhetim contabiliza uma média de 18.3, sendo o segundo melhor resultado do horário desde 2009.

'Laços de Família' fica atrás apenas de sua antecessora, 'Êta Mundo Bom!', que fez um enorme sucesso no 'Vale a Pena Ver de Novo'. 

Vale lembrar que em sua estreia, no dia 07 de setembro, a trama que tem Vera Fisher, Carolina Dieckmann e Reynaldo Gianecchini como protagonistas registrou 22 pontos de média.

LEMBRANÇA
Deborah Secco tinha apenas 21 anos quando deu vida a Íris. Na época em que a trama foi ao ar pela primeira vez, em 2000, a personagem da artista foi considerada uma das mais odiadas da novela.

Vinte anos se passaram e, agora, com a trama de Manoel Carlos sendo reprisada nas tardes da Globo, muita coisa mudou, inclusive a visão do público em relação à filha de Ingrid, vivida por Lilia Cabral.

A dupla, aliás, emocionou o público em uma das cenas mais memoráveis do folhetim: a morte da mãe da vilã. O momento, inclusive, é citado por Deborah como um dos mais especiais, em entrevista exclusiva para AnaMaria Digital.

"Sem dúvidas, a cena do sequestro foi de muita emoção, de muita tensão, muita entrega... Eu lembro como se fosse ontem, foi muito especial! A gente parou a Lagoa para gravar, foi incrível", relembra a artista.  

Ela ainda revela que a personagem tem inúmeras cenas boas, o que dificulta eleger uma favorita: "Acho que a cena do Judas, as cenas com o Pedro, com a Camila, da morte do pai, essa da morte da mãe no sequestro relâmpago... Acho que a Íris foi uma personagem que não dá para eleger uma cena só, uma personagem toda boa de fazer".