AnaMaria

Novembro Preto: 6 filmes sobre negritude que todos devem ver 

Entre as indicações para o mês da Consciência Negra estão os filmes “12 anos de escravidão” e “Corra!”

Da Redação Publicado em 21/11/2021, às 14h00

Cena do filme 'Corra!' (Get Out!) - Divulgação
Cena do filme 'Corra!' (Get Out!) - Divulgação

Neste mês comemora-se o Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro, data que marca o dia da morte de Zumbi dos Palmares, um importante líder que simboliza a luta contra escravidão.

Para refletir sobre essa data tão carregada de significados, a influenciadora Dienny Walser selecionou seis filmes que podem te ajudar a entender o porquê dessa celebração. Confira!

12 Anos de Escravidão (2014)
Já considerado um clássico, o filme é baseado na história real do músico Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor), um homem negro nascido livre nos Estados Unidos no século XIX, mas que é sequestrado e vive como escravo durante 12 anos. O longa expõe cenas fortes da exploração negra e de como os homens e mulheres escravizados eram tratados pela elite branca. Disponível 

Estrelas Além do Tempo (2016)
O longa retrata a história real das cientistas afro-americanas da NASA, Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson. Elas foram cruciais para que o primeiro homem americano fosse ao espaço, em plena Guerra Fria e corrida espacial entre Estados Unidos e União Soviética. "Toda vez que temos a chance de avançar, eles mudam a chegada", afirma uma das protagonistas do filme que mostra a luta contra o racismo e o machismo na NASA. 

Histórias Cruzadas (2012)
A história, baseada no livro best-seller “A Resposta (The Help)”, dá voz às empregadas domésticas negras dos Estados Unidos nos anos 1960. Na trama, a jovem jornalista inconformada com a realidade Skeeter (Emma Stone) escreve um livro no qual expõe as histórias de Aibileen (Viola Davis) e Minny (Octavia Spencer) e outras empregadas sobre as injustiças, racismo e perseguições vividos por elas no ambiente de trabalho e na sociedade segregada. O livro abala o status quo do Mississipi e chama a atenção para a luta dos direitos civis. 

Django Livre (2012)
A releitura de Quentin Tarantino do clássico do faroeste retrata a história de Django (Jamie Foxx), um ex-escravo que, agora livre, busca a esposa que ainda se encontra escravizada em alguma fazenda dos Estados Unidos no final do século XIX. Nessa jornada, o protagonista se depara com as teorias racistas pseudocientíficas da época e outros absurdos do período escravocrata. 

Corra! (2017)
O terror psicológico “Get Out” explora o racismo velado ainda presente na sociedade. A trama começa quando o jovem negro Chris (Daniel Kaluuya) viaja para conhecer os pais de sua namorada branca de família tradicional. O que no começo parece apenas racismo velado se torna um final de semana terrível após Chris descobrir segredos da família da namorada. 

Ó paí, Ó (2007)
Protagonizado por Lázaro Ramos, o filme, baseado numa peça de teatro que também deu origem a uma série, explora a realidade de um cortiço no centro histórico do Pelourinho, em Salvador, na Bahia. Em meio a alegria do Carnaval e as brigas do dia a dia, o filme denuncia os conflitos raciais, violência e desigualdade contra a população negra em Salvador.