Opinião: sem novidades na TV aberta, audiência das reprises vão ladeira abaixo

Cansaço do público em ver programas já exibidos faz o streaming crescer em 2021

*Ives Ferro, repórter de AnaMaria Publicado terça 19 outubro, 2021

Cansaço do público em ver programas já exibidos faz o streaming crescer em 2021
José Alfredo (Alexandre Nero) em cena de 'Império' - Globo/Alex Carvalho

Quando foi decretado o isolamento social, em março de 2020, fomos obrigados a passar a maior parte do tempo em casa por conta da pandemia. E foi também naquele período que diversas atividades foram interrompidas por conta das medidas de segurança - inclusive as gravações das novelas. 

De repente, os capítulos inéditos foram substituídos por reprises nos principais horários da televisão, e o clima era de pura nostalgia. Afinal, por que não relembrar os bons tempos? A época em que éramos felizes, sem covid-19, e não sabíamos?

Logo de cara, a TV Globo escolheu ‘Fina Estampa’ para a ocupar a faixa das 21h, no lugar de ‘Amor de Mãe’; ‘Salve-se Quem Puder’ deu vez para a edição especial de ‘Totalmente Demais’, às 19h; e ‘Éramos Seis’ foi finalizada às pressas. Em outros canais como RecordTV e SBT, já era comum o uso das reprises para “tapar buracos” da programação, então a novidade da vez foi a Globo, que abriu mão do seu carro-chefe para colocar tramas já transmitidas. E deu certo, até determinado ponto.

O aumento da vacinação no Brasil, acompanhada da consequente queda de casos em todo o território - finalmente - deixou a população animada. Estamos esperançosos, em busca de novidades no dia a dia e, principalmente, atrás de algo que nos faça deixar para trás o período conturbado de quarentena. O ideal da vez é o carpe diem (expressão em latim que significa “aproveite o momento”).

Duas provas de que o público não aguenta mais reprises são as médias das últimas novelas das 21h da Globo exibidas desde o início da pandemia, em 2020, e o aumento do faturamento do Globoplay - que subiu 68% até setembro de 2021. Isso mostra que, cada vez mais, os telespectadores buscam alternativas para não precisarem assistir à TV aberta.

Um relatório financeiro da emissora carioca, divulgado a investidores e que o colunista Guilherme Ravache, do UOL, teve acesso, informou que houve aumento de 42% de assinantes no segundo semestre do ano, em comparação com o mesmo período de 2020. No início de 2021, esse crescimento deu-se, em grande parte, por conta do ‘Big Brother Brasil’. As parcerias com Disney+, Apple TV e outros canais de assinatura online também ajudaram.

AUDIÊNCIA: DE MAL A PIOR?
Mas levando em consideração o que se passa na TV, ‘A Dona do Pedaço’ (2019), última novela inédita exibida sem interrupções no horário das 21h, teve média no Ibope de 35.97 (lembrando que para a faixa das 21h, a meta é de 30 pontos). Sua sucessora, ‘Amor de Mãe’ (2020), iniciou mediana, mas quando decolou na audiência, foi interrompida. Mesmo assim, ficou com 30.87 de média até os capítulos inéditos.

Com isso, a reprise de ‘Fina Estampa’ rendeu 33.61 de média ao canal, e a edição especial seguinte, de ‘A Força do Querer’, fechou no vermelho, com 29.92. A terceira reapresentação do horário, ‘Império’, no ar atualmente, segue em baixa, registrando média de 27 pontos diários. Até seu último capítulo, que irá ao ar em novembro, é perceptível que a trama de Aguinaldo Silva chegará ao fim abaixo da média de ‘A Força do Querer’.

Falando sobre as faixas das 18h e 19h, a situação é ainda pior: ‘Totalmente Demais’, a primeira reprisada, marcou 29.51 pontos de média (para as 19h, a meta é de 25 pontos), um número muito superior para o horário. Já ‘Pega Pega’, que está no ar, sofre para alcançar os 22 pontos diários. Mais cedo, as reapresentações de ‘Novo Mundo’, ‘Flor do Caribe’ e ‘A Vida da Gente’ às 18h pouco empolgaram, ambas com médias entre 19 e 20 pontos.

ENJOOU
Tá bom, mas o que esse monte de números significam? De um ano para cá, a televisão aberta não conseguiu seduzir o público, principalmente por conta das limitações de segurança sanitária envolvidas. Mesmo assim, boas surpresas como o ‘The Masked Singer Brasil’ e a nova temporada de ‘A Fazenda’ conseguiram levantar a audiência de seus horários e garantir repercussão nas redes sociais.

Além disso, outro sinal de que a Globo pretende se firmar cada vez mais no streaming - sem abandonar a TV aberta -, são os grandes lançamentos de filmes e séries disponíveis no catálogo. A partir desse mês, o Globoplay irá estrear ‘Verdades Secretas 2’, sua primeira novela destinada exclusivamente para a plataforma, com classificação indicativa de 18 anos. Para conseguir projeção internacional, a novela apostou em cenas e ângulos de câmera mais ousados, filtros diferentes e destaque para a trilha sonora internacional nos trailers e apresentações.

UMA NOVA ESPERANÇA
No final do ano, a Globo colocará no ar dois folhetins inéditos, ‘Um Lugar ao Sol’ às 21h, e ‘Quanto Mais Vida, Melhor’ às 19h. Ambas terão as difíceis missões de alavancar a audiência dos horários, que assim como expliquei, vêm em baixa constante. 

Feita a análise quântica através do Ibope, concluímos o cansaço do público pelas reprises e a ascensão do streaming. A expectativa em cima do folhetim de Lícia Manzo é grande, mas o período não ajuda: épocas de festas como Natal e Ano Novo são conhecidas pelas baixas na TV. Será que o público vai voltar a se empolgar com os folhetins inéditos? É esperar para ver.

IVES FERRO é jornalista e repórter do site da Revista AnaMaria, onde escreve bastante sobre os bastidores da telinha e dos famosos. Instagram: @ivesferro

Último acesso: 04 Dec 2021 - 20:44:16 (1151249).