AnaMaria
TV / Quebrando barreira

‘Transversais’: filme nacional atacado por Bolsonaro estreia nos cinemas

Produção, abortada por Bolsonaro por ter uma temática LGBTQIAPN+, estreou nesta quinta-feira

Da Redação Publicado em 25/02/2022, às 16h47

"Transversais" Filme abortado por Bolsonaro estreia no Brasil. - Deberton Filmes/ Instagram/ @transversalisofilme
"Transversais" Filme abortado por Bolsonaro estreia no Brasil. - Deberton Filmes/ Instagram/ @transversalisofilme

O documentário LGBTQIAPN+ ‘Transversais’, que foi atacado pelo presidente Jair Bolsonaro e teve sua aprovação negada em um edital da Agência Nacional do Cinema (Ancine), estreia nesta quinta-feira (24) em alguns cinemas do Brasil.

Pensada inicialmente para ser uma série - inspirada no curta-metragem ‘Aqueles Dois”, a equipe de produção buscava por meio de um edital um apoio financeiro para conseguir executar o filme.

No entanto, Bolsonaro parece ter interferido no concurso público. Na ocasião, durante uma de suas tradicionais lives, o presidente chegou a comentar: "Olha o tema: ‘sonhos e realizações de cinco pessoas transgêneros que moram no Ceará’. O filme é isso daqui, conseguimos abortar essa missão", declarou Bolsonaro.

Poderia ter sido apenas mais um comentário do chefe de estado, mas o fato é que o filme realmente foi reprovado no edital da Ancine. A produção, porém, conseguiu se concretizar após conseguir fundos por meio da lei de incentivo Aldir Blanc, que aprovada pelo Congresso Nacional durante a pandemia do covid-19 para socorrer o setor cultural. 

Assim, a série documental produzida por Allan Deberton, e dirigida pelo diretor Émerson Maranhão, conseguiu virar um filme.

TRABALHO DE FORMIGUINHA

“Transversais”  estreia  em um circuito limitado do cinema, já que faz parte do ‘Programa Queer Doc do 29º Festival Mix Brasil', além de festivais e mostras renomadas, como a 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, e do Cine Ceará. 

Para AnaMaria Digital, o diretor Émerson Maranhão comenta querer que seu documentário possa contribuir para mudar o cenário cultural complicado que vivemos no país atualmente. 

“Acho difícil, mas não impossível. É um trabalho de formiguinha. No entanto, se cada espectador que assistir ao filme despir seu olhar dos preconceitos costumeiros para se permitir conhecer esses personagens tão especiais, sentir suas dores e alegrias, e deixar que essas trajetórias tão bonitas e únicas toquem seu corações e mentes, acho que teremos um excelente começo”, comenta.

TRAILER DO FILME