AnaMaria

A Fazenda, BBB, MasterChef: por que a gente ama tanto um reality show?

Márcia Piovesan lembra que esse sucesso todo começou com Casa dos Artistas

Da Redação Publicado em 14/11/2018, às 09h56 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Quem não ama ver os artistas na Dança dos Famosos? - Reprodução/Alinne Tuffengdjian/Globo
Quem não ama ver os artistas na Dança dos Famosos? - Reprodução/Alinne Tuffengdjian/Globo

Na semana passada, quem acompanha A Fazenda viu um show de horrores (mais um!), que culminou na expulsão de Nadja Pessoa por agressão a Caique Aguiar.

Fiquei passada com a sessão de tortura psicológica que terminou num chute, na eliminação e em uma boa parte do Brasil paralisada diante do vídeo.

Eu, indignada por detestar qualquer tipo de violência, tentei entender, mais uma vez, como esse fuzuê todo pôde prender a atenção do telespectador. E a resposta é sempre a mesma: o interesse por barracos alheios! kkk

HISTÓRIA ANTIGA

Esse fascínio vem desde o precurso Casa dos Artistas, exibido no final de 2001 pelo SBT. Aliás, jogada de mestre a de Silvio Santos: o rei da comunicação foi lá e abriu o mercado para o gênero que virou febre. Em janeiro de 2002, a Globo estrearia o BBB.

Bom, partindo para os realities de culinária, temos o MasterChef como o primeiro a nos fisgar não só pelos pratos de dar água na boca, mas também para ver os competidores quaaaaase colocando quilos de sal e pimenta no prato do adversário para desbancá-lo. 

Vai dizer que não (kkk)? Sem falar da torcida para ver os chefs esculhambando as “delícias” propostas. Mas, gent e, é importante lembrar que, em se tratando de reality, nem tudo é discórdia e torcida para azedar o caldo.

A exemplo de milhares de pessoas, tenho loucura pelos casos de superação! Dancing Brasil, Dança dos Famosos (do Domingão do Faustão)... Acho incrível quando um famoso sai da zona de conforto e encara o desafio de mergulhar num universo complexo como o da dança. 

O mesmo acontece com o Show dos Famosos, também de Fausto Silva. Ainda na área musical, impossível não se emocionar com o The Voice (o Kids então...), Popstar, Canta Comigo... E, por falar em emoção, que tal o Fábrica de Casamentos? Amooo!

DANDO UMA ESPIADINHA

É impressionante como esse tipo de programa desperta sentimentos tão distintos – e humanos, né? Espiar a vida dos outros, saborear uma treta (aff... kkk), torcer para um mau-caráter quebrar a cara (quem nunca, na vida real?), se inspirar em celebridades que vencem seus medos... aaah, isso tudo “faz parte”, como diria Kleber Bambam, o campeão do BBB1! É isso! Beijos!!!

MÁRCIA PIOVESAN é jornalista multimídia, especialista e crítica de TV e celebridades. Também é radialista, influenciadora digital, participa de atrações como o A Tarde É Sua (RedeTV!) e dirige o portal de notícias que leva seu nome.