AnaMaria

Adriane Galisteu desabafa sobre Ayrton Senna: ''Toco a vida, mas ele sempre está aqui''

Apresentadora deu detalhes ainda da postura de um rival do ex em seu velório

Da Redação Publicado em 11/10/2020, às 16h26 - Atualizado em 13/10/2020, às 14h36

Galisteu no lançamento de 'O Tempo Não Para' - Globo / Cesar Alves
Galisteu no lançamento de 'O Tempo Não Para' - Globo / Cesar Alves

Adriane Galisteu, namorada de Ayrton Senna até 1994, ano de sua morte, disse que sempre haverá um espaço em seu coração para o piloto. Em entrevista ao ‘Esporte Espetacular’ deste domingo (11), a apresentadora revelou ainda o fato de seu filho, Vitório, saber quem foi o esportista e sua importância na vida da mãe.

"Toco a minha vida, tenho 47 anos, mas 1994 está sempre aqui [na cabeça]. Sou casada com um brasileiro que amava o Ayrton também. Meu filho [Vittorio] tem 9 anos e já sabe quem foi o Ayrton. Ele sabe da importância e do tamanho dele para o Brasil e para o mundo", declarou a artista.

A mulher relembrou também que Senna era muito trabalhador, e dedicava pouco tempo ao lazer e sua vida pessoal.

"Eu tinha 19 anos, então eu levei pra ele toda a 'irresponsabilidade', falava: 'para, não precisa fazer a barba, não temos nada para fazer, fica barbudo'. Eu achava curioso que ele não se divertia com o que tinha aos pés dele, e eu ficava puxando ele para isso, falando para ele aprender a tirar férias”, disse ela.

Ainda na reportagem, ela elogiou a atitude de Alain Prost, um dos maiores rivais de Ayrton na Fórmula 1, no período em que o amado morreu.

"Eles tinham uma relação conturbada, e no final das contas, o Prost deixou todos nós impressionados porque ele veio [para o Brasil], carregou o caixão, foi um cara muito dedicado e genial no final da vida do Ayrton. Não esperávamos essa postura do Prost", completou.