AnaMaria

Alinne Moraes relembra infância pobre após críticas: ''Já usei miolo de pão como borracha''

Alinne Moraes é criticada após falar sobre quarentena e rebate: ''Troquei muita ficha de ônibus por bala''

Da Redação Publicado em 19/03/2020, às 12h16 - Atualizado às 12h26

A atriz comentou as dificuldades que passou na vida - Globo/Victor Pollak
A atriz comentou as dificuldades que passou na vida - Globo/Victor Pollak

Alinne Moraes rebateu as críticas que recebeu após compartilhar uma publicação da apresentadora Maisa Silvia, onde falava sobre a importância da quarentena voluntária por conta do Covid-19 (novo coronavírus). 

Na publicação, a atriz comentou que as pessoas deveriam dispensar as empregadas domésticas. "Bora limpar a privada, varrer, cozinhar, cuidar dos filhos e ficar em casa", escreveu. 

Logo em seguida, Alinne comentou que recebeu críticas e fez questão de se defender. "Preguiça da galera que diz no meu Insta: 'vai lavar roupa, fácil dizer aí do seu condomínio, nunca andou de ônibus'. Hoje, sou privilegiada, sim!", começou.

"Olha só, tenho essa cara bonitinha, mas sou filha de mãe solteira, era pobre, fazia da borracha miolo de pão (pra quem não sabe, funciona bem pra apagar). Comi muita farinha em cima do macarrão porque não tinha queijo. Saí de casa aos 12 anos para trabalhar e dar uma vida melhor pra minha mãe e minha avó, que me criaram com esforço. Troquei muita ficha de ônibus por bala enquanto andava sozinha aos 8 anos até a escola", relembrou.

Por fim, falou que o seu pai a conheceu quando ela já era famosa e disparou que as pessoas não conhecem a verdade sobre o seu passado. 

"Hoje sou privilegiada, sim, mas continuo com o pensamento de 'pobre'. Só conheci meu pai e parte da minha história quando fiquei famosa na Globo. E ai de você se tentar tirar uma vassoura da minha mão! Sei varrer muito bem! Talvez você não saiba, porque nunca aceitei um 'Arquivo Confidencial'. Preguiça", concluiu.