AnaMaria
Últimas Notícias / POLÍTICA

Anitta esclarece boatos sobre candidatura à presidência do Brasil

No Instagram, a cantora negou o desejo de entrar para a política

Da Redação Publicado em 12/05/2020, às 20h03 - Atualizado em 25/06/2020, às 23h14

Anitta negou os boatos de que entraria para a política - Instagram/ @anitta
Anitta negou os boatos de que entraria para a política - Instagram/ @anitta

Anitta resolveu usar as redes sociais, na tarde desta terça-feira (12), para se pronunciar sobre os boatos de que estaria interessada em entrar para a política e se candidatar a presidente do Brasil no futuro.

Nos Stories de seu Instagram, a cantora fez questão de negar os rumores e revelou que sabe como a história surgiu. 

"Olha só, preciso dar um recado muito urgente, mas antes preciso falar outra coisa. Eu vi que saiu em algum lugar por aí que eu disse que eu queria ser presidente do país. Eu não sei de onde isso surgiu, eu acho que isso surgiu de uma entrevista na qual me perguntaram se eu aceitaria um cargo público, que eu dei [a entrevista] por telefone esses dias, e eu falei que eu nunca digo nunca pra nada, mas que eu aceitaria desde que eu estivesse estudada, preparada para exercer o papel que eu teria que exercer", afirmou.

"Isso é muito importante, porque eu vou dar um recado urgentíssimo e eu não quero que ninguém pense que é porque eu estou querendo entrar para a política. Eu só estou fazendo o meu papel como cidadã. Então, talvez esse boato veio dessa entrevista, mas não confere", garantiu.

Por fim, a artista se posicionou contra a MP 910, medida provisória de regulamentação fundiária, defendida pela bancada ruralista no Congresso.

"É isso que está acontecendo no nosso país nesse exato momento. Eles querem decidir essa coisa maléfica pra nossa vida. Eu estou aqui desesperadíssima. Isso é muito mais do que partido político. Isso é muito mais do que uma briga. Não se trata disso, se trata da Amazônia, da nossa floresta, do nosso pulmão do mundo inteiro. Não tem economia que salve a falta de natureza. Se a natureza morre, a gente morre junto", apontou.