AnaMaria

Após declaração de Jair Bolsonaro sobre 'Bruna Surfistinha', Rachel Pacheco detona presidente

Jair Bolsonaro atacou filme baseado na história de Rachel Pacheco e escritora respondeu

Da Redação Publicado em 23/07/2019, às 10h54 - Atualizado em 18/08/2019, às 10h56

Filme 'Bruna Surfistinha' é baseado na história de Rachel Pacheco - Reprodução/Instagram
Filme 'Bruna Surfistinha' é baseado na história de Rachel Pacheco - Reprodução/Instagram

Rachel Pacheco agitou a web ao postar um comentário em seu Twitter em resposta a crítica do presidente Jair Bolsonaro sobre o filme 'Bruna Surfistinha', que conta a história da ex-garota de programa. 

"Me chame de p***, mas não me chame de Bolsominion", escreveu ela. A loira ainda continuou: “Sobre mais uma infeliz declaração do Bolsonaro, eu digo que ele, antes de fazer juízo de valor sobre os outros, deveria cuidar da moral da própria família. E ainda do nosso país. Afinal, ele está cuidando demais do que não precisa e fazendo pouco o dever dele principal: que é ser presidente."

Outra que também comentou a declaração de Bolsonaro foi a atriz Deborah Secco, que deu vida a história de Rachel nos cinemas. "Fico um pouco chocada porque o filme retrata uma história real não só da Raquel, mas de outras milhares de mulheres que se encontram nessa situação. O que a gente queria com o filme era debater e falar sobre como nós, como a população, lida com essa realidade."

ENTENDA

O presidente Jair Bolsonaro declarou que era necessário fiscalizar os recursos públicos que são distribuídos para a indústria cinematográfica. "Não posso admitir que, com dinheiro público, se façam filmes como o da 'Bruna Surfistinha'. Não dá", disse na última quinta-feira (18). 

'Bruna Surfistinha' é um filme estrelado por Deborah Secco que conta a vida de Rachel Pacheco, uma ex-garota de programa. A produção teve mais de 2 milhões de espectadores. "Não somos contra essa ou aquela opção, mas o ativismo não podemos permitir, em respeito às famílias, uma coisa que mudou com a chegada do governo", continuou Jair. 

Na segunda-feira (22), Bolsonaro voltou a falar sobre o filme. Em entrevista, o ex-militar disse que não pretende censurar a produção que foi lançada em 2011. No entanto, ele afirmou que não pode admitir que qualquer filme pornô seja financiado com dinheiro público.

Rachel Pacheco é ex-prostituta e atualmente é escritora. Seu último lançamento foi o livro 'O Doce Veneno do Escorpião'. A loira ganhou notoriedade por levantar a bandeira da prostituição.