AnaMaria
Últimas Notícias / Polêmica

Assessoria de Gugu Liberato repudia divulgação de supostos áudios do filho dele

No comunicado, foi dito que a ação “superou os limites éticos e humanos”

Da Redação Publicado em 16/04/2020, às 15h22 - Atualizado às 15h25

Rose Miriam segue em processo judicial por herança de Gugu - Arquivo Pessoal
Rose Miriam segue em processo judicial por herança de Gugu - Arquivo Pessoal

João Augusto Liberato, filho mais velho do apresentador Gugu - que morreu em novembro passado, virou notícia ao ter diversos áudios atribuídos a ele divulgados essa semana.

Nas gravações, a voz masculina fala dos gastos que teve nos Estados Unidos enquanto sua mãe, Rose Miriam, estava no Brasil.

A assessoria do apresentador comunicou, nesta quinta-feira (16), que os familiares de Liberato estão passando por momento difíceis com “notícias difamatórias, inverídicas e divulgação criminosa de dados e provas protegidos por segredo de justiça”.

Ainda de acordo com eles, os envolvidos na propagação de notícias falsas e ilegais serão punidos de acordo com a lei.

“A família, seus advogados e equipe de comunicação respeita o livre exercício da imprensa, os valores democráticos  e a profissão que Gugu escolheu, mas, por outro lado, não se eximirá em defender  a vontade de Gugu, a privacidade de sua família e  impedir qualquer ação que atente contra sua memória, ou contra a preservação do sigilo judicial”, completaram.

Veja o comunicado na íntegra:

"Desde a morte de Gugu Liberato, seus familiares e herdeiros vem convivendo com notícias difamatórias, inverídicas e com a divulgação criminosa de dados e provas protegidos por segredo de justiça. Nos últimos dias a divulgação de um áudio atribuído a seu filho, João Augusto Liberato, superou o limite do comportamento ético e o respeito a valores humanos. 

O segredo de justiça foi imposto pelo Poder Judiciário e Ministério Público justamente para preservar a intimidade dos filhos e menores envolvidos.

As sucessivas e reiteradas quebras de sigilo judicial vem sendo objeto de investigações criminais, também sigilosas, por parte do Poder Judiciario e Ministério Público, não só para resguardar os direitos dos menores, mas por afrontar diretamente toda a credibilidade e segurança do sistema de justiça brasileiro. 

Todos os envolvidos na manutenção ou propagação destas falsas e ilegais notícias estão sendo notificados  através de correspondência certificada e serão responsabilizados de acordo com a lei.  Áudios, vídeos e supostos documentos referentes ao assunto deverão ser retirados do ar imediatamente.

A família, seus advogados e equipe de comunicação respeita o livre exercício da imprensa, os valores democráticos  e a profissão que Gugu escolheu, mas, por outro lado, não se eximirá em defender  a vontade de Gugu, a privacidade de sua família e  impedir qualquer ação que atente contra sua memória, ou contra a preservação do sigilo judicial".