AnaMaria

Bolsonaro foi traído por ex-esposa e mandou fazer reviravolta nas rachadinhas, conta ex-funcionário

O homem denunciou a família Bolsonaro por supostos crimes

Da Redação Publicado em 03/09/2021, às 17h22 - Atualizado às 17h23

Jair Bolsonaro - Instagram/@jairbolsonaro
Jair Bolsonaro - Instagram/@jairbolsonaro

Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, ex-funcionário de Jair Bolsonaro, denunciou o presidente e sua família por supostos crimes cometidos.  Primeiramente, ele afirmou que o chefe de estado foi traído pela ex-esposa Ana Cristina Siqueira Valle e ordenou que fosse organizada uma reviravolta no esquema de rachadinhas, passando o comando para Carlos e Flávio Bolsonaro. 

Antes, o sistema estava sendo controlado por Ana.  A informação foi relatada ao jornalista Guilherme Amado, do portal ‘Metrópoles’. De acordo com Marcelo, que também foi assessor de Flávio Bolsonaro, o presidente da República pediu a separação quando descobriu que Ana estava tendo um caso com seu segurança particular, o bombeiro militar Luiz Cláudio Moreira, que fazia a escolta da família no Rio de Janeiro. 

“Foi por isso [que eles se separaram], já estava aquela guerra entre os meninos [Flávio e Carlos], pressionando ele [Jair], porque ela comandava a rachadinha no gabinete deles. Já estava esse clima tenso e veio a história da traição”, disse o ex-funcionário.

Marcelo contou que era muito próximo de Ana Cristina e se sentiu desconfortável quando ela começou a se envolver com o bombeiro, pois Bolsonaro sempre confiou muito nele. “Fiquei em uma sinuca sem saída. Então tomei a decisão de que era melhor me afastar e deixá-los de lado para que resolvessem a vida deles”, explicou.

CONSEQUÊNCIAS
Por fim, o ex-funcionário também revelou quais foram as consequências do distanciamento. ”Eu me prejudiquei, pedi minha exoneração e tal. Depois o Bolsonaro descobriu o motivo de eu ter saído, porque na época, ele não quis aceitar”, contou.

Marcelo ressaltou que se sentiu injustiçado, pois foi o único que apoiou Ana após a separação e não foi valorizado por ela. Além disso, o ex-assessor disse que a advogada teria simulado o furto de um cofre que o casal tinha no Banco do Brasil, para acusar Bolsonaro, enquanto brigavam pela guarda do caçula, Renan. 

“Ela tinha dois cofres no Banco do Brasil. Depois da separação, ela disse que furtaram, porque sumiu tudo que tinha lá [no cofre], eram jóias e dinheiro. Ela entrou com um processo contra o Banco do Brasil, mas quando foi intimada, não compareceu.  Ela viu que fez m****a e nem apareceu, a ação ficou rolando.Ela que limpou o cofre antes de decidir as coisas, ia dar ruim para ela. O processo ficou lá parado”, finalizou.