Boris Casoy imitava voz de Paulo Maluf para conseguir informações no regime militar: ''Antiético''

O jornalista relembrou ainda um episódio curioso com a apresentadora Cátia Fonseca

Da Redação Publicado quarta 27 outubro, 2021

O jornalista relembrou ainda um episódio curioso com a apresentadora Cátia Fonseca
O jornalista Boris Casoy - Reprodução/Youtube

O apresentador e jornalista Boris Casoy relembrou alguns momentos marcantes de sua carreira e histórias inusitadas na televisão. Na última terça-feira (26), ele foi o convidado do podcast ‘Ticaracacast’, no Youtube, e deu detalhes de como pegava informações na época do regime militar, quando Paulo Maluf era governador do Estado de São Paulo.

O período citado por Boris foi entre 1977 e 1984, quando era editor chefe do jornal Folha de S. Paulo: “Fiz boas imitações quando (...). Eu acho que seria antiético eu obter informações imitando, mas como era um regime de exceção, eu me sentia  à vontade para fazer o que eu vou contar”, iniciou ele.

“Acontecia alguma coisa grave, no regime militar, e a gente precisava saber o que estava acontecendo, de informações de dentro. Muitas vezes eu telefonava: ‘Ministro, querido! Como vai, governador?’”, riu ele, imitando a voz de Maluf.

Em seguida, Boris foi questionado sobre qual época ele acreditava que o país estava em boas mãos. O jornalista citou Ernesto Geisel e Fernando Henrique Cardoso, mas com a ressalva de que o governo do primeiro era autoritário.

“Eu vejo duas figuras que tiveram uma noção de estado do Brasil. Não sofreram nem acusações [de corrupção], eram íntegras. Ernesto Geisel e Fernando Henrique Cardoso. Vejo neles pessoas que tinham planos para o Brasil. O Fernando Henrique precisou usar muito da sua criatividade para salvar o país, e não criar coisas novas”, opinou.

RECORD X GLOBO
Casoy contou ainda de quando participou do programa de Cátia Fonseca, quando a apresentadora ainda estava no ar na Record TV. No quadro, Cátia preparava um prato para o convidado, e acontecia uma entrevista.

“Pedi um sanduíche de mortadela. Aí ela me levou, e começou a me entrevistar e preparar o sanduíche. Eu comi o primeiro, e ela me entrevistando, entrevistando… E a entrevista não acabava mais. Comi o segundo sanduíche (...), e demorou muito mais tempo do que eu imaginei”, relembrou ele, e ao final, questionou a produção. “Falei: ‘O que aconteceu?’. ‘Você comeu, e depois de ‘não sei quantos anos’, nós batemos a Globo’”, completou.

Último acesso: 05 Dec 2021 - 10:39:18 (1151564).