AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Bruno e Marrone são criticados após almoço com Jair Bolsonaro

Polêmica: Bruno e Marrone saem para almoçar com Jair Bolsonaro

Da Redação Publicado em 20/08/2019, às 18h09 - Atualizado às 18h10

Bruno e Marrone com Jair Bolsonaro - Reprodução/Instagram
Bruno e Marrone com Jair Bolsonaro - Reprodução/Instagram

A dupla Bruno e Marrone polemizou na web após compartilhar clique ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Na foto publicada na conta do Instagram de Marrone, o sertanejo conta que o trio se reuniu para um almoço, na tarde desta terça-feira (20). 

"Hoje o almoço foi por conta do nosso presidente", escreveu.

A reação dos fãs dos cantores foi dividida. Alguns se revoltaram com o encontro: "Afff... Perdeu uma fã", escreveu uma seguidora. "Que decepção", comentou outra. "Queimou o filme", disse o terceiro.

Já outros comemoraram o ocorrido: "Trê mitos!", afirmou. "Aí sim!!", celebrou um internauta. "Já sou fã e agora subiu mais no meu conceito", revelou outra fã.

SEM DÓ 

Após o sequestro de um ônibus da empresa 'Galo Branco', na Ponte Rio-Niterói (RJ), durante a manhã desta terça-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que "não tem que ter pena" quanto ao uso de atiradores de elite em ações policiais. Ele ainda relembrou o sequestro do ônibus 174, em 12 de junho de 2000, na Zona Sul do Rio de Janeiro (RJ).

"Não foi usado sniper. O que aconteceu? Morreu uma pessoa inocente, e depois esse vagabundo morreu no camburão. Os policiais do camburão foram submetidos a júri popular. Foram absolvidos por quatro a três. Quase você condena dois policiais, condena a 30 anos de cadeia. Não tem que ter pena", disse o ex-militar a um grupo de jornalistas, após a ação.

Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) ficaram posicionados no local, e um deles baleou e acabou matando o sequestrador.
Além dos atiradores, a equipe contou com dois negociadores, um psicólogo, um médico e um gerente de crise. 

MONITOR

O homem que sequestrou o ônibus também teria usado um monitor de TV existente dentro do veículo. 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, ele acompanhava ao vivo tudo o que acontecia no local, e não permitiu que a polícia desligasse o aparelho durante as negociações.

A ação começou por volta de 05h30 da manhã, e terminou às 09h00.

{# Taboola Newsroom #}