AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

Camila Pitanga: "A internet pode ser superficial e perversa"

Camila Pitanga revela como lida com a chuva de elogios (e críticas) na internet, fala a respeito da educação que procura dar a Antonia, 7 anos, e da corajosa personagem que interpreta na novela das 21h, Velho Chico

Roseane Santos Publicado em 09/08/2016, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Camila  Pitanga: "A internet pode ser superficial e perversa" - João Cotta
Camila Pitanga: "A internet pode ser superficial e perversa" - João Cotta
Na visão de Camila, quem é Maria Tereza? 
É uma mulher que está voltando às suas origens. Está se reconectando consigo mesma e com o velho Chico. Ela é filha de um homem opressor, mas ama o pai. Há um duelo constante entre eles, mas o pano de fundo é o amor. Porque ela se importa com as diferenças entre eles. Ela é do interior, mas é sofisticada, já viajou o mundo. É muito justa e ética.


Você tem a possibilidade de ver várias culturas do Brasil por meio de seu trabalho. Procura mostrar essa diversidade para sua filha também?
Sempre. Eu levo Antonia em muitas viagens. Ela só tem 7 anos, mas acho importante mostrar tudo que o nosso país oferece, essa
riqueza de culturas. Quero que ela conheça todas as realidades. 


Tereza busca força na natureza. Você também faz isso?
Sim, sempre fiz, mas agora a Tereza está me chamando mais atenção para isso. Como é bom buscar a energia em uma cachoeira,
encontrar a paz, buscar o equilíbrio em lugares assim é muito bom.


Você acha que as redes sociais prejudicam um pouco esse contato com a natureza? Até que ponto o mundo virtual pode prejudicar o seu mundo real?
Acho que depende de como a pessoa se coloca nas redes sociais. Eu consegui fazer das redes sociais um lugar de escrever e
receber. Seja por depoimento ou provocações de questões que estão ali. Esse pode ser um espaço de troca interessante: tanto pode ser superficial quanto perverso.


Sua personagem Regina, em Babilônia, foi muito criticada e até um pouco agredida na internet. Você não ficou balançada com isso?
Sim, mas quem sou eu para julgar isso? Muitas dessas coisas que são ditas ali não têm o mesmo peso das coisas que são ditas
oficialmente. Logo que li, pensei: nossa, caramba! É isso que estão falando dela? Mas depois vi que o código da internet é diferente e até passei a me divertir muito. Não posso ter isso como termômetro, tenho que pensar no que estou fazendo.


E você tem uma filha de 7 anos. Há algum controle nesse mundo tão louco da internet?
Claro, mas a gente é muito parceira. Não tenho esse conceito de proibir nada. O meu pai nunca me proibiu de ver nada. Eu não proíbo, mas oriento e aponto algumas coisas que acho que ela vai ter mais potência de absorver. Eu quero que ela leia e ela
também tem paixão pelos livros. Ela ama a escola e também é muito curiosa. Escuta [a cantora de funk] Anitta e também [os
compositores de MPB] Chico Buarque, Luiz Gonzaga. Lê Vinicius de Moraes. Nunca vou proibir de nada, porque é essa pluralidade que faz a riqueza de nosso país.



Natureza na TV, no Instagram e no coração

Em Velho Chico, Tereza é completamente apaixonada pela natureza. O jeito dela de venerar a terra de onde veio, seu povo e o Rio São Francisco até irrita o coronel Saruê (Antonio Fagundes), que gostaria que a filha fosse mais materialista como ele. E nisso Camila Pitanga parece ser igualzinha à personagem: ela vive tirando fotos em lugares como esses aí acima. E tem coisa melhor que essa sintonia?



“Consegui fazer das redes sociais um lugar de escrever e de receber o que os outros escrevem. É uma troca”