Coluna da Estopinha: Saiba lidar com a compulsão do pet

Animais diagnosticados com o problema têm carga genética herdada para apresentá-lo

Alexandre Rossi Publicado quarta 19 julho, 2017

Animais diagnosticados com o problema têm carga genética herdada para apresentá-lo
Coluna da Estopinha: Saiba lidar com a compulsão do pet - iStock
Milena Haddad, leitora de AnaMaria, tem uma shih tzu com mania de lamber as patas. A conduta pode ser sintoma de compulsão, um distúrbio capaz de comprometer o bem-estar do pet. Animais diagnosticados com o problema têm carga genética herdada para apresentá-lo. Os sintomas podem ser deflagrados por estresse, ansiedade... Um cão, por exemplo, ficará ansioso se for preso em um local pequeno e sem estímulos nem atividades físicas e mentais. Isso pode deflagrar as ações compulsivas, que são como uma válvula de escape para situações estressantes. Por mais que os tutores ofereçam condições mais adequadas depois, o comportamento permanece, pois o ato recompensa o cão pela sua “angústia”.

Identifique o problema 
As manias compulsivas mais comuns são: correr atrás do rabo, perseguir a própria sombra, lamber muito as patas e arrancar os pelos. Se o seu cão gasta horas com essas ações, procure um especialista em comportamento animal. Visite também um veterinário. Às vezes, ele age assim em razão de algum problema de saúde.

Recompensa não é o remédio 
Na tentativa de interromper o problema, tutores dão recompensas e se surpreendem quando o animal intensifica a conduta. Na cabeça do cão, a lambedura, por exemplo, que já é autorrecompensadora, ainda gera agrados. Logo, para ele, vale a pena repetir. 

Para ajudá-lo 
Redirecione a atenção do cachorro para um passatempo. Se ele tem a mania de lamber as patas, estimule-o a brincar com uma bolinha ou morder um brinquedo. Quando ele estiver fazendo isso, recompense-o com elogios, atenção e mais itens de que ele goste. Além disso, atividades físicas são fundamentais para qualquer cão, ainda mais os compulsivos. Eles precisam gastar toda essa energia acumulada! 

PERGUNTA QUE A ESTOPINHA RESPONDE

Como seria um sábado perfeito para a família Rossi, Estopinha? 
Silvana Cassalito, Araraquara/SP

“Adorei a pergunta, tia! É assim, ó: a gente acorda e vou tomar meu solzinho enquanto o Barthô acorda os papis cheio de lambidas (risos). Aí, como levantamos, tipo às 13h, vamos almoçar fora e, depois, brincar no parque de bolinha (e o Barthô vai pular na lama). Mais tarde, vemos um filme juntos e... partiu soneca :).

CURIOSIDADE
Estresse do bem
Sem exagero, o estresse ajuda o organismo do pet a lidar com situações perigosas, como se preparar para um ataque. Quando esse estresse vem, a frequência respiratória aumenta, as pupilas dilatam e há liberação de adrenalina e cortisol.

Alexandre Rossi é zootecnista e especialista em comportamento pet. Autor de livros e fundador da Cão Cidadão, comanda o quadro Desafio Pet (Programa Eliana/SBT), Missão Pet (Nat Geo) e É o Bicho (BandNews FM). caocidadao.com.br

Envie suas sugestões e perguntas para o e-mail anamaria@maisleitor.com.br

Último acesso: 06 Dec 2021 - 00:08:52 (1030787).