Diretor da Funarte ataca Fernanda Montenegro para defender Bolsonaro: ''Desprezo por ela''

Para defender Bolsonaro, dramaturgo Roberto Alvim ataca Fernanda Montenegro

Da Redação Publicado segunda 23 setembro, 2019

Para defender Bolsonaro, dramaturgo Roberto Alvim ataca Fernanda Montenegro
Fernanda Montenegro - Divulgação

Roberto Alvim causou polêmica na web, nesta segunda-feira (23), ao publicar em seu Facebook uma nota ofendendo a atriz Fernanda Montenegro

O ataque foi feito após a atriz posar para a revista literária 'Quatro cinco um'. Na edição, Fernanda é retratada como uma bruxa prestes a ser queimada em uma fogueira com livros. Roberto achou que seria uma afronta à Jair Bolsonaro, governante a quem ele apoia publicamente. 

“Deixa eu ver se entendi: A intocável Fernanda Montenegro faz uma foto pra capa de uma revista esquerdista, vestida de bruxa, amarrada por cordas, prestes a ser queimada em uma fogueira de livros, numa afirmação de que esse é o estado-de-coisas no Brasil do governo Bolsonaro: censura, livros sendo queimados, pessoas sendo mortas por discordarem”, começou. 

O diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte continuou com as ofensas e aproveitou o momento para defender o presidente Jair Bolsonaro:
 
“Na entrevista, vilipendia a religião da maioria do povo, através de falas carregadas de preconceito e ignorância. Essa foto é ecoada por quase toda a classe artística como sendo um retrato fiel de nosso tempo, em postagens que difamam violentamente o nosso Presidente. Muitos atores tem comparado Bolsonaro com Hitler... Então, eu escrevo um texto". 

E o dramaturgo não parou por aí. Alvim revelou desprezar a estrela e ainda a acusou de mentir. 

“O único de um representante da classe artística - no qual exponho fatos acerca da sórdida Simone de Beauvoir, última figura representada (e incensada!) por Fernanda em um espetáculo teatral, visando entender quem ela é e como pensa e age; e então acuso Fernanda de mentirosa, além de expor meu desprezo por ela, oriundo de sua deliberada distorção abjeta dos fatos”, afirmou.

“Diante disso, sites, blogs e páginas da classe artística, além de inúmeras postagens, afirmam que sou grosseiro e que tenho que respeitá-la, me xingam de tudo que é nome e exigem que eu me retrate e que seja demitido do cargo de Diretor de Artes Cênicas. Fernanda mente escandalosamente, deturpa a realidade de modo grotesco, ataca o Presidente e seus eleitores de modo brutal, e eu sou grosseiro e desrespeitoso, apenas por ter revidado a agressão falaciosa perpetrada por ela? É como receitava o monstruoso Gramsci, para a esquerda, tudo é permitido, mas se a direita reclamar acuse-a de intolerância”, disse. 

Por fim, Roberto concluiu, mandando um recado para os opositores de Bolsonaro: 

“Amiguinhos esquerdistas: sua velha chantagem não funciona mais. PS: Tudo o que eu afirmei sobre Simone de Beauvoir é factual. Não trabalho com mentiras ou com difamação caluniosa - quem age assim são os esquerdistas”. 

APOIO

Fãs e artistas saíram em defesa de Fernanda Montenegro, após os ataques de Roberto Alvim. Nas redes sociais, eles passaram a usar a hashtag #somostodosfernanda em posts sobre o caso. 

Drica Morais, Nelson Sargento e Guida Vianna estão entre as pessoas que manifestaram reações contrárias às afrmações do dramaturgo. 

"É o maior absurdo que eu já li, ninguém pode ofender as pessoas desse jeito. Um presidente que elogia a tortura deveria ser processado, da mesma forma que um diretor que ocupa o cargo público, na Funarte, e ofende o maior ícone teatral do Brasil, também" defendeu Guida. 

Em comunicado, a Associação dos Produtores de Teatro (APTR) repudiou as declarações de Alvim.
 

Último acesso: 21 Sep 2021 - 10:18:58 (1079843).