AnaMaria

“Distorcendo o que falei” dispara mãe da bebê Alice após ataques

A mãe da bebê Alice se irritou nas redes sociais após polêmicas

Da Redação Publicado em 07/01/2022, às 11h18

Mãe da bebê Alice desabafa na internet - Reprodução/Instagram
Mãe da bebê Alice desabafa na internet - Reprodução/Instagram

A bebê Alicese tornou assunto na web após estrelar uma campanha publicitária com Fernanda Montenegro. A mãe da criança, Morgana Secco, aproveitou para desabafar nas redes sociais sobre ser acusada de se incomodar com os ‘memes’ usando o rosto da filha.

“Lamentável as chamadas sensacionalistas de algumas matérias, distorcendo o que eu falei e incitando as pessoas a me atacarem” disse ela em suas redes sociais. De acordo com Morgana, a intenção não é impedir que façam as brincadeiras.

O pedido da mãe de Alice foi que não utilizem a imagem de sua filha em discussões políticas e religiosas. “Nunca tentei barrar memes, pedi bom senso e para não relacionarem a imagem da Alice com fins políticos e religiosos, por exemplo. O que vejo é que muita gente não sabe que violar direito de imagem é crime. E ser pessoa pública não diminui este direito”,completou.

Por fim, Morgana ressaltou que está por dentro das leis. “Por desconhecerem as leis, começaram a culpar a vítima (no caso, eu) pelo crime. Dizer que a culpa é minha é como dizer que mulher que sai de casa de roupa curta merece ser abusada”, finalizou.

ENTENDA O MOTIVO

Morgana já tinha utilizado as redes sociais antes para comentar sobre o uso da imagem de Alice. “Faz muitos dias que estou recebendo muitos memes com o rosto da Alice. A maioria deles são inocentes, são até engraçados, mas alguns deles não são. E é sobre eles que queria falar. Queria deixar claro que a gente não deu autorização para nenhum deles e a gente não concorda em associar a imagem da Alice com fins políticos ou religiosos, por exemplo”, explicou.

Na sequência, ela também pediu que as empresas que estão utilizando o rosto da pequena para ganhar dinheiro interrompam a prática. “Além disso, a gente não autorizou nem o uso dela de empresas ou de instituições (obviamente isso não se aplica a empresas que temos contrato comercial, essas estão autorizadas dentro dos termos de contrato). Então a gente também não autoriza campanhas de divulgações”, finalizou.