AnaMaria

Entrevista com Claudia Raia, a Salete de A Lei do Amor

Sexy, popular e bem-humorada, Salete teve que aguentar perrengues e frustrações para ser bem-sucedida e criar bem as suas filhas

Júlia Arbex Publicado em 07/02/2017, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Entrevista com Claudia Raia, a Salete de A Lei do Amor - Globo/Tata Barreto
Entrevista com Claudia Raia, a Salete de A Lei do Amor - Globo/Tata Barreto
Espontânea, expansiva, alto-astral, pura euforia. São esses quatro adjetivos que descrevem Salete, personagem interpretada por Claudia Raia em A Lei do Amor. A mulher é guerreira, viu? Casou-se com seu primeiro namorado e aguentou por anos a infidelidade e a incompetência administrativa, que afundava o posto de gasolina da família em dívidas. Após a morte do marido, porém, Salete deu a volta por cima e fez o negócio bombar: contratou frentistas gatíssimos para trabalhar, virou notícia e, assim, saiu do vermelho. O estabelecimento tornou-se o point dos moradores de São Dimas. Assim, a mulher criou e deu uma boa vida às suas duas filhas, Jéssica (Marcella Rica) e Flávia (Maria Flor). Incrível!


Como você enxerga a Salete?
A personagem é sexy, totalmente do bem e transborda energia. Ela tem uma alma maravilhosa: cheia de moralidade e vai fundo no que acredita. Por isso, todos pedem ajuda e conselhos a Salete, especialmente quem vive perto e frequenta seu posto de gasolina. Além disso, por ser tão querida, ela entrará na política em São Dimas e conseguirá mudar o cenário da cidade.


Você acha sua personagem uma pegadora?
Ela pega os bonitões, mas não se apega. Mas a Salete é muito mais que isso! Na verdade, o que ela faz é se divertir enquanto está solteira. Mas, ao mesmo tempo, é meio mãe e irmã deles. Ela até vira madrinha de casamento de um dos meninos com quem se relacionou.


Como é a relação dela com as duas filhas?
Ela tem uma relação horrorosa com a Jéssica [Marcella Rica]. A menina se envergonha de ter uma mãe espalhafatosa e,
principalmente, de ser da classe C. Ela tem vergonha da família que tem. Já a relação com Flávia [Maria Flor], sua filha adotiva, é ótima: as duas se identificam e se dão superbem.


A novela aborda política...
Acho que falar de política na novela é muito importante. E nós falamos sobre o tema de uma maneira bem interessante, pois mostramos que há pessoas muito legais e que, sim, existe gente honesta. Dá para ter esperança.


Você acredita que ainda há políticos honestos?
Olha, eu estou bem descrente. Em outras partes do mundo, acho que há políticos honestos. Porém, aqui no Brasil, eu não
acredito. Eu não consigo ver essa luz. Tudo que está acontecendo é uma grande decepção para mim.


Qual é a sua lei do amor?
É a lei da vida! Acredito que ninguém sobreviva sem um grande amor.


Como ser mãe e filha
Flávia, filha adotiva de Salete, é o oposto da irmã. Querida por todos, descolada e independente, a moça divide o apartamento com os amigos, trabalha como DJ e ainda é o braço direito da mãe na loja de conveniência. Enquanto Jéssica passou a vida inteira
desprezando a dona do posto, Flávia sempre deu carinho e apoio, e nunca hesitou em demonstrar amor e gratidão por ser sua filha. A relação de cumplicidade que as duas construíram é incrível!


"Minha filha me ama ou me odeia?"
Há até poucas semanas, a relação entre Salete e Jéssica era dramática e conturbada. A filha biológica da morena pouco se parece com ela. Na verdade, a menina só se importa com dinheiro e com seus amigos ricos e se envergonha da mãe e do posto de gasolina, que acha supercafona. Em três meses de novela, as duas já fizeram inúmeros barracos, principalmente porque Jéssica não perde uma oportunidade de ofender a mãe. A última maldade da jovem foi gravar um vídeo acabando com a imagem da mulher em troca de R$ 10 mil: “A minha mãe é candidata à vice-prefeita na chapa do Hércules Leitão! Ela não passa de uma safada, sem-vergonha, que assedia sexualmente os funcionários! E aí?! Vai deixar ela ganhar?”, disse ela. Mesmo arrasada e deprimida com a atitude da própria filha, Salete não desistiu da garota. Para provar seu amor incondicional pela jovem, assim que descobriu que Tião (José Mayer) agrediu a menina, ela o denunciou para a polícia. Ao descobrir, Jéssica ficou emocionada e revelou que tem, sim, muito orgulho de ser filha da dona do posto de gasolina. “Eu juro que vou ser uma filha melhor e tudo vai ser diferente”, declarou ela. Puxa, até que enfim, né? Vamos ver...