AnaMaria

Estudo de Oxford confirma importância de distanciamento social e uso de máscaras

Entenda como o estudo foi feito e veja a análise do biólogo Átila Iamarino

Da Redação Publicado em 20/07/2020, às 19h20 - Atualizado em 22/07/2020, às 14h26

Estudo da Universidade de Oxford traz novidade para a ciência - Reprodução/ PixaBay
Estudo da Universidade de Oxford traz novidade para a ciência - Reprodução/ PixaBay

Um estudo publicado pela Universidade de Oxford nesta segunda-feira (20), trouxe uma novidade para o mundo da ciência em relação ao novo Coronavírus. A análise revela que o uso de máscaras e a realização do distanciamento social são essenciais para que a doença não se desenvolva e nem se agrave.

COMO FOI FEITO E OS RESULTADOS OBTIDOS

Nele, um grupo de militares da Suíça, com idades em torno dos 21 anos, foi analisado e sub-dividido em dois grupos: um de infectados antes de realizar o distanciamento social e outro que testou positivo para a COVID-19 durante o isolamento social.

O primeiro era composto por 341 soldados e 30% deles ficaram doentes. Já no outro, que, no total tinha 154 deles, nenhuma chegou a desenvolver o novo Coronavírus, porém, apresentava os anticorpos específicos para o vírus.

BARREIRA

O biólogo Átila Iamarino fez uma análise dos resultados em seu perfil no Instagram, nesta segunda (20). Ele explicou que a mesma análise precisará ser realizada novamente em outros centros para que sua eficácia seja comprovada, mas ressalta: “Este é um resultado muito importante e bate com o que estávamos vendo em outras situações, em que essa noção de que a dose de vírus com a qual a gente entra em contato, pode ditar quais as chances de complicações para desenvolver as doenças”.

Além disso, a conclusão também prova o contrário do que se imaginava ao tratar das condições de profissionais de saúde que estão trabalhando no front da doença. “Se a gente usar máscara e adotar o distanciamento social, a chance de pegar o vírus é menor, como a dose com a qual a gente entra em contato pode ser menor e, assim, o corpo tem tempo de responder e controlar o vírus muito bem”, explica.

Além disso, a conclusão também prova o contrário do que se imaginava ao tratar das condições de profissionais de saúde que estão trabalhando no front da doença. “Se a gente usar máscara e adotar o distanciamento social, a chance de pegar o vírus é menor, como a dose com a qual a gente entra em contato pode ser menor e, assim, o corpo tem tempo de responder e controlar o vírus muito bem”, explica.

Ao finalizar, Iamarino relembra a importância de se cumprir todas as medidas que estão sendo recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde). “Se for o caso, com máscara e distanciamento a gente diminui a letalidade da doença e o número de vidas que podem ser perdidas daqui pra frente”, ressalta.