AnaMaria

Filha do piloto de Marília Mendonça vai entrar na Justiça contra empresa de energia

Vitória Medeiros afirmou que sua intenção é proteger outras vidas

Da Redação Publicado em 18/11/2021, às 10h52 - Atualizado às 10h53

Vitória Medeiros - Tv Record
Vitória Medeiros - Tv Record

Vitória Medeiros, filha de Geraldo Medeiros, o piloto que comandava o avião em que estava Marília Mendonça e sua equipe, confirmou na última quarta-feira (17), que irá processar a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais).

A decisão foi tomada após a morte do pai, no último dia 5, quando o avião caiu e deixou cinco vítimas em Caratinga (MG). Vitória falou brevemente sobre o assunto em suas redes sociais.

“Só tenho uma coisa a falar por hora: se tivesse essa sinalização tudo poderia ser diferente. E isso vai ser importante, principalmente, para poder proteger a vida de outras pessoas caso haja uma emergência”, disse ela.

O advogado da família revelou ao UOL que o erro não foi de Geraldo, mas sim da falta de sinalização no local do acidente, que não era obrigatória.  "Não foi erro [do piloto]. Ele simplesmente não viu a torre. Se tivesse uma sinalização, ele teria visto. Ele não cometeu nenhuma violação. Teoricamente tentou fazer o melhor possível para enquadrar [a aterrisagem] e pegou esse fio"

É importante ressaltar que o avião caiu após colidir com cabos de energia. Além do acidente que matou Marília, o piloto e outras três pessoas, cerca de 30 mil pessoas ficaram sem eletricidade na região. Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, um cabo foi encontrado enrolado na hélice da aeronave, porém ainda não há evidências de que é o mesmo da colisão.

AVISO DE POUSO
O piloto que levava Marília Mendonça informou por duas vezes que estava iniciando o pouso. A afirmação foi feita por um piloto que estava comandando um monomotor em Viçosa (MG) e estava na mesma área de voo, no mesmo horário, em entrevista ao ‘O Globo’.

Segundo o profissional, que optou por não se identificar, Geraldo Martins de Medeiros Júnior, que conduzia a aeronave de Marília, avisou duas vezes que iria dar início ao procedimento de pouso, conhecido entre os pilotos por “perna de vento”. 

“Ele disse que estava pegando a perna do vento e, cerca de 20 segundos depois, voltou a dizer que estava pegando a perna do vento 02, o que significa que estava iniciando o procedimento padrão de pouso. Isso não configura uma anormalidade, pois os pilotos podem prolongar um pouco o tempo do pouso", explicou. 

Na primeira vez, Geraldo comunicou que estava a 12.500 pés e a “44 fora”. “É uma altitude compatível para o local. Fiquei a dúvida se eram 44 milhas de distância ou 44 minutos. Como eu estava indo para o mesmo aeroporto, e precisava estimar o pouso, perguntei. Ele respondeu que eram 44 milhas", explicou o piloto, que também já prestou depoimento para SERIPA (Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão ligado ao Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes), que está investigando o caso.

Ao jornal, Roni Macedo, sub administrador do Aeroporto de Caratinga, que seria o destino da viagem, contou que, pelas informações de Geraldo, ele estava no tempo para realizar o pouso.Os destroços e os dois motores da aeronave já foram levados ao Rio de Janeiro e a Goiânia, onde será feita outra perícia mais detalhada para identificar as causas do acidente.

ÚLTIMO ADEUS
O corpo de Geraldo Martins de Medeiros Júnior, 56, piloto que estava no avião com Marília Mendonça (1995 - 2021), foi velado e sepultado neste domingo (7), em Brasília. O homem nasceu no Piauí, mas morava na região Centro-Oeste do país com a família.

Além dele e Marília, também morreram o tio dela, o copiloto, Tarciso, e o produtor da cantora. A divulgação do enterro foi feita no Instagram de Vitória Medeiros, sua filha. Neste fim de semana, ela comentou que recebeu uma visita espiritual do pai, na qual ele disse que “estava bem”.

“Vi um arco-íris e ouvi ele falando: ‘Não desiste, você é o amor da minha vida. Eu não fui embora, estarei sempre presente. Você pode sempre se comunicar comigo’, entre outras coisas lindas, que eu fico em choque de ter acontecido”, relatou ela em uma longa homenagem feita nas redes sociais.

Geraldo trabalhou como piloto por 20 anos e estava aposentado. Para não ter que abrir mão de uma de suas maiores paixões, a aviação, dedicou-se ao táxi aéreo há cerca de dois anos.

VISITA ESPIRITUAL

De acordo com Vitória, Geraldo apareceu através de um arco-íris e transmitiu uma mensagem de carinho.

“Ontem após o falecimento, eu sabia das notícias, mas não o que tinha acontecido com os passageiros. Sabia que eu tinha que falar com Deus. Só fechei os olhos e ouvi ‘Oi, Vi. Estou bem’. Tinha mandado uma mensagem pra ele minutos antes perguntando se ele estava bem”, iniciou ela.

“Sabia que ninguém tinha respostas, e a única pessoa que poderia me dar essa resposta era Deus. Ele falou mais um monte de coisas e me abraçou, me fez uma visita espiritual que não consigo descrever. Não acreditava em vida após a morte até ontem”, completou ela, explicando que andou até o gramado de seu apartamento e se ajoelhou, de olhos fechados.

“Vi um arco-íris e ouvi ele falando: ‘Não desiste, você é o amor da minha vida. Eu não fui embora, estarei sempre presente. Você pode sempre se comunicar comigo’, entre outras coisas lindas, que eu fico em choque de ter acontecido”, relatou.

Em seguida, Vitória narrou as palavras do pai: “‘Vou fazer uma passagem, mas eu te amo (...). Siga seus sonhos’. Quando olhei para trás, o arco-íris não estava mais lá. Ele disse para mim que estava bem, sem sofrimento”, concluiu.

O ACIDENTE

Marília Mendonça morreu, aos 26 anos, após sofrer um acidente aéreo na tarde de sexta-feira (5). O avião em que a cantora estava caiu no município de Piedade de Caratinga (MG). A aeronave caiu em uma cachoeira e, até às 18h15 do mesmo dia, o resgate dos cinco corpos presentes no avião ainda acontecia.

Na aeronave estavam a sertaneja, um produtor, um assessor (que era tio da cantora), o piloto e o copiloto. A artista tinha um show marcado na região. Mais cedo, a sertaneja havia compartilhado eu suas redes sociais um vídeo bem-humorado, mostrando sua refeição durante a viagem. O último post foi feito à tarde, por meio da ferramenta Stories, no Instagram, na qual ela conversava com os fãs.

Inicialmente, a assessoria de Marília Mendonça confirmou para a imprensa que todos haviam sido resgatados com vida, mas acabou confirmando a notícia da morte no fim da tarde, após o resgate dos corpos. "Com imenso pesar, confirmamos a morte da cantora Marília Mendonça, seu produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e co-piloto do avião, os quais iremos preservar os nomes neste momento. O avião decolou de Goiânia com destino a Caratinga/MG, onde Marília teria uma apresentação esta noite. De momento, são estas as informações que temos".

O velório e enterro de Marília aconteceram no sábado (6), com muita comoção. O caixão ficou em um grande espaço de eventos em Goiânia (GO), e recebeu milhares de amigos, fãs e familiares. Por volta das 17h, o corpo foi cortejado até o cemitério mais próximo, e enterrado em uma cerimônia restrita, às 19h20.