AnaMaria
Últimas Notícias / Agressão

Globo se pronuncia sobre ataques de Bolsonaro a jornalistas na Bahia: ''Atitude escandalosa''

No 'Fantástico', Maju Coutinho e Poliana Abritta falaram em nome da emissora

Da redação Publicado em 13/12/2021, às 08h53 - Atualizado às 08h55

Poliana Abritta fala em nome da Globo sobre ataques de Bolsonaro à imprensa - TV Globo
Poliana Abritta fala em nome da Globo sobre ataques de Bolsonaro à imprensa - TV Globo

A TV Globo resolveu se pronunciar sobre os ataques deJair Bolsonaro aos repórteres que cobriam a visita do presidente ao sul da Bahia, no último domingo (12). No 'Fantástico', as apresentadoras Maju Coutinho e Poliana Abritta leram uma mensagem que classificou a agressão como "recorrente" e "escandalosa". 

Isso porque seguranças e apoiadores de Bolsonaro agrediram os repórteres Camila Marinho e Cleriston Santana, da TV Bahia (afiliada da Globo), e Xico Lopes e Dario Cerqueira, da TV Aratu (retransmissora do SBT). 

Camila foi segurada pelo pescoço, enquanto os outros foram impedidos de usar o microfone para falar com o chefe de Estado. Um dos seguranças, inclusive, acusou um dos jornalistas de agredir o presidente com o equipamento. 

Essa não é a primeira vez que o ex-militar e sua equipe são hostis com a imprensa, visto que, recentemente, seguranças agrediram jornalistas durante uma viagem de Bolsonaro à Itália, entre eles o repórter Leonardo Monteiro, também da TV Globo. 

As apresentadoras afirmaram que o Supremo Tribunal Federal foi acionado em novembro pela Rede Sustentabilidade para impedir que Bolsonaro atacasse ou incentivasse agressões à imprensa. No entanto, a Advocacia-Geral da União defendeu a rejeição da ação. "O governo afirma que não é possível atribuir a autoridades episódios de hostilidade ou intimidações contra a imprensa. O governo diz ainda que a postura crítica de Bolsonaro à imprensa não ultrapassa os limites da liberdade de expressão."

O STF aguarda o parecer da Procuradoria-Geral da União. Com isso, a Globo ressaltou: "As agressões deste domingo mostram que já passou da hora de a Procuradoria-Geral da República dar o seu parecer na ação que corre no Supremo, tendo como relator o ministro Dias Toffoli. A imprensa cumpre um direito escrito na na Constituição, e deve ter a sua segurança garantida", leu Poliana.

"As cenas bárbaras de hoje e aquelas ocorridas na Itália no dia 31 de outubro ensejam duas constatações. Se os seguranças agem por conta própria, a presidência deve ser responsabilizada por omissão. Se agem seguindo ordens superiores, a presidência deve ser responsabilizada por atentar contra a liberdade de imprensa e fomentar a violência contra jornalistas", seguiu Maju.

"Além disso, é escandalosa a atitude da presidência de deixar jornalistas à própria sorte em meio a apoiadores fanáticos, que são insuflados quase diariamente pelo próprio presidente em sua retórica contra o trabalho da imprensa", continuou Poliana.

As apresentadoras disseram em nome da emissora que é "urgente que o Judiciário se pronuncie". A TV Globo repudiou as agressões aos repórteres e afirmou ainda que se solidariza.