AnaMaria

Henry Borel se recusava a ir para a casa de Monique e Jairinho, diz pai em audiência

'Mamãe é má', teria dito Henry Borel ao pai ao falar de Monique

Da Redação Publicado em 07/10/2021, às 09h52 - Atualizado às 09h52

Henry Borel - Youtube
Henry Borel - Youtube

O engenheiro Leniel Borel prestou depoimento na última quarta-feira (6) na primeira audiência de instrução do julgamento sobre a morte de Henry Borel, de 4 anos. De acordo com o pai, o menino estaria se recusando a retornar para o apartamento onde vivia com a mãe, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, e o padrasto, o ex-vereador Jairo Santos Santos Júnior, o Doutor Jairinho.

Ele comentou ter falado com Henry que ele deveria voltar para casa, "porque a mamãe era boa", mas que a criança teria respondido: "Não, papai. A mamãe não é boa, a mamãe é má." Vale ressaltar que tanto Monique quanto Jairinho são réus pelo homicídio triplamente qualificado da criança.

Segundo o jornal Extra, um momento bastante emotivo do depoimento foi quando Leniel chorou ao cantar a música entoada pelo filho em um dos últimos registros do menino. "Mãezinha do céu, eu não sei rezar. Eu só sei dizer: eu quero te amar", diz a letra de "Mãezinha do céu", do padre Marcelo Rossi. A mãe de Henry Borel, que estava acompanhando a audiência presencialmente, também chorou ao ouvir a canção.

CRIANÇA RECLAMOU
Em outra parte do depoimento, o menino relatou ao pai que "o tio machucou", falando também sobre um abraço muito forte. "Na hora, eu perguntei: "Filho, você contou para sua mãe?". (ele respondeu) "Contei, papai, mas ela disse que era sonho". Então, eu liguei na hora para a Monique, e ela repetiu que deveria ser coisa de criança, sonho", disse Leniel no depoimento.