AnaMaria
Últimas Notícias / Confusão

Homem com facão causa pânico em estação do metrô de SP

Estação de metrô em SP tem pânico causado por homem com facão

Vivian Ortiz Publicado em 06/10/2019, às 20h18 - Atualizado às 20h35

Um homem causou confusão na estação Brooklin do metrô - Divulgação
Um homem causou confusão na estação Brooklin do metrô - Divulgação

Um homem armado com um facão causou pânico entre os passageiros da Linha-5 Lilás por volta das 17h20 deste domingo (6). A confusão aconteceu na estação Broklin, da linha 5-Lilás, que cobre das estações Chácara Klabin e Capão Redondo.

No Twitter, um usuário chamado Kallavam baby, relatou ter visto a confusão do início. "Eu estava do lado, quando ele levantou do banco avisando que ia morrer todo mundo, e puxou a faca", contou. "Um cara que estava ao lado empurrou ele e começou a gritaria e correria, achei que era brincadeira no começo."

Uma das passageiras do metrô no momento, Rosemary Silva Oukawa contou para AnaMaria Digital que o trem parou na estação, as pessoas desceram e entraram normalmente e, quando as portas se fecharam, teve início uma correria.

"Todos começaram a ir para o lado oposto do vagão, em meio a uma grande confusão para tentar se proteger, com pessoas caindo na hora, foi o maior pânico", conta a aposentada.

Até aquele momento, ninguém tinha muita ideia do que poderia estar acontecendo, segundo ela. Isso causava ainda mais pavor em quem passava pela situação. "Chegou-se até a cogitar um incêndio, mas não tinha fumaça nenhuma. Nisso, as pessoas esmurravam a porta para abrir e tentar sair, foi aterrorizante", conta.

SEM FERIDOS

No Twitter, a internauta Ceci DFlor contou que foram os próprios passageiros imobilizaram o homem. "Eu vi a faca no chão. Ele não chegou a machucar ninguém", contou no microblog.

De acordo com a passageira, cerca de quatro ou cinco pessoas o rodearam, por fim imobilizando-o no chão, com as mãos para trás. "Subi e tinha um guarda correndo. Passei a informação", disse.

Quando todos foram liberados do vagão, a correria continuou rumo a saída. "Na parte da catraca, quando tudo ficou mais calmo, até tinha um segurança ordenando a saída das pessoas, mas senti falta de alguma mensagem que acalmasse os passageiros", ressalta Rosemary. 

OUTRO CASO

Em 26 de janeiro deste ano, a mesmo linha Lilás teve um caso bastante semelhante. Na ocasião, de acordo com o site Rede Noticiando, testemunhas disseram que o homem teria ficado irritado com um papel que havia sido colado na mochila dele. Foi então que ele retirou um facão da cintura e passou a ameaçar os passageiros.

No caso da confusão deste domingo, Rosemary conta que ela e o marido optaram por retornar para a estação e continuar a viagem cerca de cinco minutos após o auge da confusão. "Aí já estava tudo tranquilo novamente, mas notamos que vários seguranças chegavam na plataforma vindos de outras estações, muito provavelmente para ajudar a conter o tumulto", conta.

Já dentro do vagão, ela relata ainda que, apesar de não ter reparado, algumas pessoas comentaram que haviam visto resquícios da confusão na plataforma, como óculos, mochilas e sapatos abandonados.

Procurada por AnaMaria Digital, a assessoria de imprensa da ViaMobilidade, empresa responsável pela operação e manutenção da Linha 5-Lilás, informou que a operação registrou maior tempo de parada e velocidade reduzida entre 17h18 e 17h26, em virtude do acionamento do botão de emergência em um dos trens na estação Brooklin.

"A concessionária esclarece que o evento ocorreu pelo comportamento agressivo de um passageiro, que foi contido e conduzido para o Distrito Policial pela equipe de Agentes de Atendimento e Segurança", diz a nota oficial. A ViaMobilidade, no entanto, não deixou claro se foi a mesma pessoa que causou o tumulto nas duas ocasiões diferentes.

Veja os prints no Twitter: