AnaMaria

Incomodado com o excesso de ronco? A culpa pode ser da apneia

Distúrbio é caracterizado pela parada da respiração por períodos de até um minuto

Ana Caroline Oliveira Publicado em 21/02/2019, às 15h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Isabella chora por não conseguir dormir com o ronco do brother Rodrigo - Reprodução/TV Globo
Isabella chora por não conseguir dormir com o ronco do brother Rodrigo - Reprodução/TV Globo

O brother Rodrigo, um dos participantes do “BBB19”, tem sido alvo de críticas desde a primeira noite que entrou no reality show. Tudo porque o volume de seu ronco incomoda os outros confinados do programa da TV Globo.

A situação, para lá de constrangedora, acaba se repetindo em milhões de lares no mundo inteiro. Afinal, quem não tem um parceiro, parente ou amigo conhecido pelo ronco escandaloso?

“Mais do que um incômodo sonoro para quem dorme junto, o ronco pode também ser sintoma de um problema mais grave, chamado apneia obstrutiva do sono (AOS)”, explica o dentista José Flávio Torezan, que é doutor em cirurgia buco maxilo facial pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

De acordo com o especialista, esse distúrbio é caracterizado pela parada da respiração por períodos de 10 segundos a até um minuto enquanto a pessoa dorme, e pode causar consequências graves quando não tratado. 

"É isso que difere a apneia do ronco: a parada da respiração, que acontece repetidamente. Todo mundo que tem apneia ronca, mas nem todos que roncam têm apneia", afirma o cirurgião. 

CAUSAS TAMBÉM SÃO DIFERENTES
De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se queixa de qualidade de sono ruim e 33% sofre com a apneia. As reclamações vêm sobretudo dos homens que, assim como Rodrigo, do “BBB19”, estão na faixa etária entre 30 e 50 anos. O brother está com 41 anos.

O ronco que não é provocado por este distúrbio pode estar ligado a flacidez dos tecidos vocais, algo que pode ser resolvido com a ajuda de exercícios que fortalecem a musculatura envolvida na produção do som.

“Já a apneia é culpa do estreitamento das vias aéreas superiores, ou seja, atrás do nariz, do céu da boca e da língua”, explica Torezan. Entre as causas mais comuns, estão o aumento do sobrepeso, além de características individuais.

SINTOMAS
Mas como diferenciar um simples ronco de uma crise de apneia? Torezan diz que os sinais vão piorando conforme a obstrução das vias aéreas vai se desenvolvendo. 

Isso leva a sonolência diurna, cansaço físico, perda de memória, diminuição da libido, diminuição da concentração, hipertensão e sono excessivo durante o dia são sinais de alerta para a pessoa procurar um especialista, pois já deixou de ser um simples ronco. 

TRATAMENTO
A apneia tem diferentes graus. O leve geralmente não precisa de terapia, já o moderado e grave tem uma extensa gama de procedimentos para melhorar o quadro.

Em alguns casos, o mais indicado é apostar no uso de aparelhos odontológicos na boca durante a noite, justamente para manter a mandíbula posicionada mais para frente e impedir o bloqueio das vias aéreas. 

“Em outras situações, a cirurgia é a melhor opção para remover problemas que ajudam a piorar a apneia, tais como desvio de septo”, afirma José Flávio.

EM CASA
Cuidar da higiene do sono também é uma recomendação. Isso significa dormir nos mesmos horários e em ambientes agradáveis, escuros e silenciosos. Não ingerir cafeína e bebida alcoólica ou alimentos pesados também são recomendações. 

De acordo com o cirurgião, o não tratamento pode levar a riscos como complicações cardiovasculares, além de câncer e Alzheimer, que pode estar ligado a privação de sono. 

O cirurgião garante que a prevenção está relacionada ao acompanhamento de crianças e adultos que respiram pela boca, têm mordida cruzada ou estão ganhando peso com muita rapidez.