AnaMaria

Kyra Gracie fala sobre representatividade feminina no Jiu-Jitsu: ''Achava que era só para os homens''

A pentacampeã mundial participou do 3° episódio de 'Smile Makers Brasil'

Da Redação Publicado em 23/09/2020, às 16h55 - Atualizado às 16h55

Kyra Gracie, campeã de Jiu-Jitsu - Instagram/ @kyragracie
Kyra Gracie, campeã de Jiu-Jitsu - Instagram/ @kyragracie

Kyra Gracie foi a participante do terceiro episódio da websérie ‘Smile Makers Brasil’, que mostra a transformação e retrata a vida profissional e pessoal das irmãs dentistas Rachel e Erika Abreu. 

No capítulo, a esposa de Malvino Salvador disse que foi a primeira de sua família a conquistar uma faixa preta em jiu-jitsu e a competir ativamente no esporte. Ela ainda comentou sobre a representatividade feminina na luta.

"Eu cresci dentro de um ambiente onde todos os meus tios e primos eram campeões de Jiu-Jitsu, e eu ia para academia assisti-los o tempo inteiro. Então, eu vivia muito isso, apesar de achar que era só para os homens porque eu não tinha uma referência feminina. Eu chegava lá no espaço, na academia, só via os meninos treinando”, contou ela.

“A gente até brincava um pouquinho, mas não era incentivado para as mulheres. Até que um dia, eu chego e minha mãe está no tatame. Quando eu vi isso, falei: Minha mãe está treinando, legal, eu posso treinar. Isso me incentivou muito", completou.

DO OUTRO LADO
As dentistas Rachel e Erika ressaltaram que em sua profissão, a maioria são mulheres. Porém, nem sempre são vistas em postos altos: "Quando a gente vê um dentista bem sucedido palestrando em um congresso é sempre um homem", falou Rachel. 

"Na faculdade, a maioria dos universitários eram mulheres. Uma vez um colega falou: 'Nossa, a maioria é mulher. Eu estou super tranquilo porque daqui a pouco vocês vão parar para engravidar e terem filhos, então vocês não são concorrência'. Isso me estimulou a casar, engravidar, mas colocar a minha profissão em um nível de importância tão grande como da minha família”, completou Erika.