AnaMaria
Últimas Notícias / Confusão

Laryssa Ayres expulsa homem de vagão feminino em metrô do Rio de Janeiro

Revoltada, Laryssa Ayres expulsa homem de vagão feminino no Rio de Janeiro: ''É lei''

Da Redação Publicado em 03/10/2019, às 17h49 - Atualizado às 17h49

Laryssa Ayres - Reprodução/ Instagram
Laryssa Ayres - Reprodução/ Instagram

Laryssa Ayres se revoltou com uma situação ocorrida na manhã desta quinta-feira (03), no Rio de Janeiro. Enquanto fazia uso do metrô para ir a faculdade, a atriz se deparou com um homem no vagão feminino.

Ela usou as redes sociais para relatar o ocorrido e, indignada, contou que o indíviduo se negou a sair do local. Então, ela pediu, de forma educada,  que ele se retirasse. 

"Eu não tenho a menor necessidade de aparecer, eu sou uma pessoa que briga muito pelos meus direitos, quiçá dos outros. Você que está espalhando o vídeo, me apoiando ou não, quero primeiro que entenda o que aconteceu.  Vagão feminino tem um horário, conseguimos esse direito, mas acho uma besteira ter horário, porque passamos situações constrangedoras o dia inteiro", começou. 

Reoltada, Laryssa afirmou que, com a negativa do rapaz, os ânimos se exaltaram. 

"Nós temos sim, direitos! Foi criada uma lei e você tem que respeitar. Acontece de as pessoas se distraírem e entrarem errado, tudo bem, é só pedir desculpas e sair. Ele não fez isso, pedimos 30 vezes e ele não saiu, tivemos que chamar um segurança, foi necessário ele ver um macho para tomar a atitude de sair", disse. 

"Foi-se o tempo que a gente abaixava a cabeça para eles, onde eles, na rua, constrangiam e oprimiam a gente, esse tempo acabou, temos nossa voz. Chega!", concluiu. 

A artista recebeu o apoio de muitos seguidores, inclusive de colegas famosos, que comentaram a postagem. "Já passei por essa situação várias vezes. Alertei várias vezes, e algumas em vão. Tem quem finge que não vê que no vagão só tem mulher! Chega! Que necessidade é essa de sempre atrasar uma conquista nossa? Se temos esse direito - porque é quase impossível pedir respeito nos vagões, ônibus ou querer outro lugar - qual a dificuldade de respeitar se não nós, a lei?!", falou a atriz Giovana Cordeiro.