AnaMaria

Luba detona comentário de Kéfera no “Encontro” e atriz rebate críticas

Segundo ele, “liberdade de expressão é um direito humano”

Da Redação Publicado em 18/12/2018, às 18h40 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Lucas Feuerschütte é dono do canal LubaTV, no youtube. - Reprodução/ Instagram
Lucas Feuerschütte é dono do canal LubaTV, no youtube. - Reprodução/ Instagram

A participação de Kéfera Buchmann no Encontro com Fátima da última quinta-feira (13) deu o que falar. A atriz e youtuber foi convidada para falar sobre sua carreira, feminismo e a personagem que está vivendo em “Espelho da Vida”.

Durante uma discussão sobre feminismo, um rapaz da plateia resolveu criticar negativamente o movimento, cuja principal ideologia é a igualdade dos gêneros masculino e feminino.

O youtuber Luba decidiu opinar em seu canal sobre o ocorrido com Kéfera no programa matinal da TV Globo, e destacou que o participante do Encontro tinha a liberdade de expressão para falar o que quisesse.

LUBA ATACA

"É lugar de fala dessa pessoa se expressar sim, porque todos nós estamos sob a mesma constituição, que protege a liberdade de expressão, é um direito humano", disse ele.

Luba ainda colocou a ideia de que Kéfera atacou o rapaz ao invés do argumento, e que “se você precisa atacar uma pessoa e não consegue debater contra o argumento dela, talvez você mesmo não entende do que está falando ou tentando defender”.

O youtuber garantiu que não estava falando apenas da atriz global. “Eu tô falando de todo mundo que se prende a esse tipo de argumento e que tenta desqualificar a pessoa ao invés de contra-argumentar", disse ele.

KÉFERA REBATE

No Twitter, a atriz resolveu dar seu posicionamento quanto às críticas de Luba. Ela comparou o feminismo com o movimento LGBT, e ainda citou a imparcialidade do rapaz no período das eleições.

“Luba não se manifestou na época das eleições, certo? Manter o público foi mais importante do que ir discutir política, entendo. Mas agora pra fazer vídeo desacreditando do lugar da fala enquanto homossexual branco... poxa, aí não dá né. Fica difícil assim”, afirmou Buchmann.

“Até porque, se fosse um hétero representando o movimento LGBT, será que ele [Luba] iria concordar e achar que é correto o protagonismo ser do hétero num movimento o qual ele não pertence? Vamos refletir!”, concluiu ela.