AnaMaria
Últimas Notícias / Polêmica

Ludmilla quebra o silêncio e fala sobre vaia durante o Prêmio Multishow

Ludmilla se pronuncia sobre vaias que levou em premiação: ‘’Até quando isso?’’

Da Redação Publicado em 31/10/2019, às 17h39 - Atualizado às 17h39

Ludmilla fala sobre vaias durante o Prêmio Multishow - Reprodução: Thiago Duran / AgNews
Ludmilla fala sobre vaias durante o Prêmio Multishow - Reprodução: Thiago Duran / AgNews

A cantora Ludmilla passou por maus bocados durante o Prêmio Multishow, que aconteceu na última terça-feira (29), no Rio de Janeiro. 

Enquanto a funkeira subia ao palco para receber os prêmios das categorias que venceu, ‘Canção Chiclete’ e ‘Melhor Cantora do Ano’, uma vaia começou. Alguns fãs de Anitta chegaram a chamá-la por nomes preconceituosos, como ‘macaca’.

Nas redes sociais, Ludmilla compartilhou, nesta quinta-feira (31), um trecho de um vídeo que retrata a vaia e aproveitou para fazer um desabafo sobre o episódio. 

“Cara, até quando isso? Olha, as coisas, pra mim, e eu acho que pra maioria dos brasileiros, nunca foram fáceis. E com preconceito e julgamentos pelo tom de pele, vocês só complicam as coisas”, começou. 

A beldade ainda mandou um recado para todas as pessoas preconceituosas.

“A vontade de diminuir é tanta que não pensam nas consequências dos seus atos. Eu só queria deixar bem claro para vocês, racistas, que além da Justiça ser lenta, aqui as pessoas que praticam racismo comigo ainda não terem sido punidas, isso não significa que a cobrança nunca vai chegar, ou que ela está longe disso”, ressaltou. 

Para finalizar, a cantora agradeceu o apoio dos familiares e de Deus: “Não me deixa desmoronar diante dos racistas. A cobrança de vocês uma hora vai chegar”, declarou. 

PAULO GUSTAVO SE PRONUNCIA 

O ator Paulo Gustavo, um dos anfitriões do evento, ficou visivelmente incomodado com as vaias para Ludmilla. Ainda no palco, o humorista aproveitou para exaltar a funkeira. 

“Ludmilla, eu sou seu fã. Você, que nasceu aqui nesse país, mulher, negra, gay, da periferia, num país extremamente racista e homofóbico, chegar aonde você chegou. Não é fácil chegar aonde você chegou, não é para qualquer um. Parabéns, a sua história inspira milhares de pessoas”, disse.