AnaMaria
Últimas Notícias / PRECONCEITO

Ludmilla se manifesta sobre as mensagens racistas que recebe: ''Não vou me esconder''

A cantora se tornou alvo de racismo nas redes sociais nos últimos dias

Da Redação Publicado em 17/06/2020, às 19h51 - Atualizado em 06/07/2020, às 19h37

Ludmilla se manifesta sobre as mensagens racistas que recebe - Reprodução/Instagram
Ludmilla se manifesta sobre as mensagens racistas que recebe - Reprodução/Instagram

Ludmilla quebrou o silêncio, nesta quarta-feira (17), e resolveu vir às redes sociais para se pronunciar a respeito dos ataques racistas que está recebendo na web. 

A funkeira compartilhou, na sua conta oficial do Instagram, uma ilustração de uma mulher negra, que remete a uma imagem conhecida do feminismo. Na gravura, há os escritos  “fé”, “luz”, “amor” e “respeito”. 

Por meio da legenda do post, a esposa de Brunna Gonçalves aproveitou para escrever um longo texto, descrevendo como está se sentindo com as mensagens preconceituosas que tem recebido. 

“Não vai ser a primeira e, infelizmente, nem a última vez que terei que lidar com comentários racistas e respondê-los”, começou ela. 

E prossegiu: “E para quem insiste em me atacar desta forma, só tenho uma coisa a dizer: não vou me esconder. Continuarei falando, buscando justiça e denunciando os culpados. Tenho plena consciência do lugar que ocupo e do alcance da minha voz. E, justamente por isso, aprendo cada dia mais e não me calarei, seja sobre o racismo que acontece comigo, seja sobre aquele que vejo dia a dia com os meus”. 

Ainda sobre os impactos de debater o racismo, a amada de Brunna Gonçalves declarou: “Já ficou bem claro que não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Você ouve nossa música, mas, e no dia-a-dia, onde estão seus amigos pretos? Com quantos pretos você convive? Como você contribui para mudar esse sistema - porque, sim, o racismo é estrutural. Nosso sistema foi construído em cima dele”. 

E finalizou destacando que a negatividade não irá pará-la: “Para cada ofensa racista, eu encontro pelo caminho pessoas incríveis e que me inspiram nessa nossa luta. E é por isso que eu continuarei usando a minha voz para denunciar, para cobrar justiça, para seguir adiante e de cabeça erguida. Há muito a ser transformado e estou cada dia mais atenta para aprender, cobrar e agir para que todas essas mudanças aconteçam”.