AnaMaria

Marcos Pasquim relembra caracterização de ‘Kubanacan’: ''Não sinto falta''

Novela está de volta na plataforma de streaming Globoplay

Da Redação Publicado em 07/12/2020, às 14h09 - Atualizado em 09/12/2020, às 10h10

Marcos Pasquim e Adriana Esteves em 'Kubanacan' - Globo
Marcos Pasquim e Adriana Esteves em 'Kubanacan' - Globo

Marcos Pasquim, estrela da novela ‘Kubanacan’ (2003), teve uma preparação intensa para viver o Pescador Parrudo. A trama foi adicionada ao Globoplay nesta segunda-feira (7), e o ator explicou de onde veio o apelido chiclete do personagem.

"Quem inventou foi o Humberto Martins. Eu soube que um dia, em uma cena, ele mencionou isso. Acho que o Carlos Lombardi (autor da novela) viu isso, gostou, e inseriu na novela. Até hoje as pessoas me chamam assim na rua. Fico feliz pela lembrança do personagem", contou ele ao Gshow.

Na história, que tem Adriana Esteves, Vladimir Brichta e Danielle Winits no elenco, Pasquim fez aulas de judô, kung-fu, boxe, expressão corporal e preparação de armas no Exército para dar conta das personalidades diferentes do protagonista.

“Todas as versões dele eram difíceis, mas era mais complicado fazer um se passar pelo outro, esse revezamento dos personagens", explica o ator, que completa: "Tínhamos um grupo de dublês, que faziam as coreografias, mas normalmente eu mesmo fazia a cena, não usava dublê. Só usava quando tinha que saltar de muito alto ou cena de tiro, mas o resto eu fazia tudo".

Além disso, os cabelos do Pescador foram uma aparência marcante de Marcos. Era frequente também as cenas picantes e sem camisa. O artista revela que não gostava da cabeleira grande.

"Não sinto saudade. Cabelo comprido dá muito trabalho! Não vou mais deixar mais o cabelo crescer. Se for um personagem, eu posso colocar, mas esse cabelo era meu. Eu deixei crescer de Uga Uga e depois O Quinto dos Infernos para usar em Kubanacan. Mas hoje em dia nem pensar!", finalizou.