AnaMaria

Maria Zilda Bethlem revela que Globo faz ''teste do sofá'': ''Sei bem como funciona''

Atriz ainda desabafou sobre os papéis que a emissora dá para atores veteranos

Da Redação Publicado em 30/10/2020, às 12h06 - Atualizado às 12h06

Zilda na coletiva da novela 'Aquele Beijo', em 2011 - TV Globo / Estevam Avellar
Zilda na coletiva da novela 'Aquele Beijo', em 2011 - TV Globo / Estevam Avellar

Maria Zilda Bethlem voltou a fazer novas revelações sobre a Globo e sua carreira de atriz. Em uma live recente com o ator Oscar Magrini, no Instagram, ela disse que a emissora faz o famoso “teste do sofá” e reclamou da falta de reconhecimento para atores antigos.

O assunto surgiu quando Magrini comentou sua participação na novela ‘A Dona do Pedaço’, em 2019: "Agora só faço pai e avô. Faço pai de marmanjo e marmanja. E daqui a pouco estou fazendo avô", disse o ator de 59 anos.

"Meu amor, mas eles acham que não dá Ibope. Dá Ibope quem tem like no YouTube, quem tem o p**** grande e quem dá o rabo para o diretor. Você sabe disso", comentou Maria Zilda.

Magrini concordou com a amiga. "Isso acontecia muito. Hoje em dia, sabe o que é? Mesmo se o cara for dar o rabo e colocar o garotão lá, e o garotão for uma m*****. Ferrou", declarou.

REVELAÇÃO

Zilda, que foi casada com o diretor Roberto Thalma, soltou a polêmica: "Você trabalhou na TV Globo muitos anos e eu também. Eu entrei na Globo em 1975. Você não vai dizer para mim que eu não sei como aquilo funciona. Até porque eu fui casada com diretor. Então, eu sei muito bem como aquilo funcionava. Não é o teste do sofá. É o teste do c*”.

O veterano lembrou de quando queria começar a carreira de ator e pediu ajuda à Cleyde Yáconis, que o alertou sobre a condição para fazer sucesso na emissora. “Pra você entrar tem que passar no quartinho do PC”, falou ela.

Oscar questionou quem era o tal “PC”, e a famosa logo revelou. “É o quartinho do pó e do c*. Você cheira?”. Falei: 'Não!'. 'Você dá o c*?'. 'Não!'. 'Então, não vai entrar'. E ela deu risada. Uma senhora! Imagina?", recordou ele.