AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Michelle Giannella, chefe do departamento de esportes da TV Gazeta, é acusada de assédio moral

Muitos profissionais pediram demissão devido à conduta de Michelle Giannella

Da Redação Publicado em 07/07/2022, às 14h12

O SportBuzz apurou que mais de 15 pessoas saíram do veículo por conta de Michelle Giannella - Reprodução/Instagram
O SportBuzz apurou que mais de 15 pessoas saíram do veículo por conta de Michelle Giannella - Reprodução/Instagram

Michelle Giannella, a gerente do departamento de esportes da TV Gazeta, foi acusada de assédio moral pelos profissionais do jornal e muitos chegaram a pedir demissão. A Informação foi dada pelo UOL Esporte e confirmada pelo SportBuzz.

De acordo com repórteres e produtoras da emissora, Michelle pediu que elas trocassem fotos com assessores e jogadores de futebol para conseguir entrevistas. Ela negou as acusações.

"Estou galgando posições no meu trabalho. Sou uma pessoa —por Deus que está me ouvindo—, sou falha, sou mãe, erro pra caramba, mas busco muito melhorar como ser humano. A coisa de que mais gosto é ter um bom ambiente de trabalho”, disse Giannella ao UOL Esporte.

“Ganhei uma mesa de futebol de botão para os meus filhos e levei essa mesa para a nossa redação, para as pessoas brincarem, porque eu gosto de ter um ambiente legal", finalizou a jornalista.

Já o SportBuzz conversou com profissionais ligados ao departamento de esporte da TV Gazeta, que confirmaram as acusações contra a chefe da área.

O site ainda apurou que mais de 15 pessoas pediram demissão ou saíram do veículo por conta do comportamento "completamente abusivo" de Michelle, alguns deles inclusive por salários menores, já que "não aguentavam mais" a conduta da gerente.

As fontes também contaram que estiveram presentes em algumas das situações de assédio moral, e que Giannella não tinha problema em chamar a atenção dos funcionários em meio a todos e “falando alto".

Uma das fontes do site, que trabalha com Michelle, disse que duas colegas mulheres pediram demissão e, quando questionadas pelo RH por qual motivo, elas apontaram a conduta da gestora.

O SportBuzz também contatou Chico Lang, integrante do programa "Gazeta Esportiva", que negou as acusações de má conduta da colega. O jornalista afirmou que estamos em uma "época de Fake News" e que a "TV é uma ambiente competitivo demais, onde muitas pessoas querem subir. Não houve nada, foi uma grande fofoca".

Ele ainda opinou que as informações publicadas poderiam ter sido originadas por funcionários que "talvez saíram de lá por incompetencia". Além disso, ele atestou que Michelle "nunca passou dos limites, nunca se envolveu com nenhum funcionário da empresa e sempre [esteve] focada no trabalho".

Michelle Giannella e a Fundação Cásper Líbero ainda não se manifestaram sobre o caso. Vale ressaltar que a jornalista irá falar sobre as acusações no programa ‘Gazeta Esportiva’ desta quinta-feira (7).

Para o UOL Esporte, a Gazeta enviou o seguinte posicionamento: "São infundadas as acusações de assédio moral no departamento de esportes. Não há registros internos e no âmbito jurídico sobre o tema, que chegaram ao nosso conhecimento apenas por intermédio da imprensa. No entanto, com base nessas sinalizações, informamos que a gestão de pessoal do departamento de esportes está sendo acompanhada de perto com o objetivo de garantir a manutenção do bom ambiente profissional da equipe".

NOTA OFICIAL

Em comunicado, a TV Gazeta ressalta que são infundadas as acusações. "Não há registros internos e no âmbito jurídico sobre o tema, que chegaram ao nosso conhecimento apenas por intermédio da imprensa", garantiu a emissora.

No entanto, com base nessas sinalizações, a Gazeta informa que a gestão de pessoal do departamento de esportes está sendo acompanhada de perto com o objetivo de garantir a manutenção do bom ambiente profissional da equipe. 

"A emissora ressalta que possui um canal aberto com todos os colaboradores da casa e incentiva a denúncia de comportamentos abusivos. Por filosofia, a TV Gazeta e a Fundação Cásper Líbero valorizam a boa convivência entre seus colaboradores, buscam o aprimoramento e implementam práticas visando corrigir quaisquer incorreções que possam ser identificadas."