Padre Juarez sobre Ana Paula Valadão: ''Burrice misturada com preconceito'' 

Religioso rebateu as declarações da cantora sobre aids e homossexuais 

Da Redação Publicado quarta 16 setembro, 2020

Religioso rebateu as declarações da cantora sobre aids e homossexuais 
Padre Juarez rebateu os comentário de Ana Paula Valadão - Rede Vida/Instagram/@anapaulavaladao

Padre Juarez não ficou nada contente com a pastora Ana Paula Valadão. Durante seu programa na Rede Vida, o 'Bendita Hora', o religioso rebateu as declarações da também cantora gospel, na última segunda-feira (14). 

Os comentários do padre vieram à tona após a pergunta de um telespectador: "Sou homossexual e católico. Sou proibido de frequentar a igreja e comungar?". 

Assim, Juarez respondeu citando o vídeo em que Valadão aparece em um culto e faz julgamentos homofóbicos. "Uma pastora falou que a Aids que está relacionada ao fato de existirem homossexuais. Você acredita nisso? Que nós escutamos uma pessoa falar sobre isso, uma pessoa que se diz líder religiosa falar que a Aids é culpa dos homossexuais? Isso é burrice misturada com preconceito", disse, visivelmente irritado.

"Burra, sim, porque basta ler qualquer pesquisa científica e vai ver que não existe nenhuma relação da homossexualidade com a Aids. E preconceituosa afastando as pessoas e levando a considerar o outro como se fosse doente ou pecadores. Preconceito, talvez seja essa a doença que precisamos combater, porque o preconceito é uma doença mais feia, mais horrível do que a própria Aids", concluiu. 

Ao site Notícias da TV, o padre discursou sobre o uso da religião em discursos de ódio. "Interessante é que o diabo usa a palavra de Deus, ele tenta Jesus com a palavra de Deus. Ela pode ser usada de qualquer maneira. E se você tiver o coração inundado de amor você vai usar para o bem. Quando não tem o coração inundado de amor, acontece o que essa mulher fez."

"Ela provou que não entendeu a Bíblia, não entendeu o que é a misericórdia", disse. 

ENTENDA

A cantora gospel e pastora Ana Paula Valadão disse no programa 'Diante do Trono', apresentado por ela na Rede Super, que ser gay "não é normal" e que a punição para tal pecado é a morte, relacionando a proliferação da aids.

"Qualquer escolha contrária ao que Deus determinou como ideal chama de pecado. O pecado tem uma consequência que é a morte. Tá aí a Aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa enfermidade que leva a morte, contamina as mulheres. Enfim, não é o ideal de Deus", comentou.

A Aliança Nacional LGBTI+ declarou em nota que processará a evangélica por crime de homofobia. 

Último acesso: 20 Oct 2020 - 09:31:35 (1124151).