AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Pai de aluno que esfaqueou colega de classe em SP diz que “ele é só uma criança”

Ele ainda pediu desculpas pela atitude do filho, que esfaqueou colega em escola

Da Redação Publicado em 30/03/2022, às 09h51

Caso aconteceu em uma escola particular de São Miguel Paulista, em São Paulo (SP). - Reprodução
Caso aconteceu em uma escola particular de São Miguel Paulista, em São Paulo (SP). - Reprodução

O pai do menino de 13 anos, que esfaqueou uma colega de classe na zona leste de São Paulo (SP) na última semana, escreveu uma carta para a família da vítima, pedindo desculpas pela atitude do filho e por não ter percebido a mudança de comportamento dele.

A carta foi mostrada durante o 'Fantástico' exibido no último domingo (26). Nela, o pai diz que o garoto é uma criança de “coração maravilhoso, super educado e amoroso”. Além disso, afirma acreditar na recuperação do jovem, pois avalia que uma criança “age por impulso e muitas vezes sem pensar, sem comunicar e sem se abrir com os pais”.

“Venho em nome da minha família agradecer o carinho e a dedicação que vocês estão tendo com meu filho, mesmo sabendo que ele fez uma coisa muito errada, sei que ele tem um coração maravilhoso, é um menino super educado e amoroso; a única questão que precisa ser trabalhada é o seu comportamento de ser muito fechado, mas eu tenho fé em deus que ele terá uma nova oportunidade para melhorar essa questão, afinal ele é uma criança e sabemos que crianças agem por impulso e muitas vezes sem pensar, sem comunicar e sem se abrir com os Pais”, afirmou o pai.

Além disso, ele pede desculpas por não termos percebido qualquer alteração de comportamento. "Mas da forma mais sofrida aprendemos, e desejo que vocês possam ter a sensibilidade que não tivemos para juntos evitarmos situações como essa”, completou.

O QUE ACONTECEU?

Anna Beatriz Nascimento, de 12 anos, levou oito facadas durante o intervalo de duas aulas do Colégio Floresta, em São Miguel Paulista, na Zona Leste de São Paulo. Após ter alta, ela e os pais deram uma entrevista ao programa da TV Globo.

A jovem contou que pensou ter tomado um soco do menino após as facadas, se surpreendendo com a atitude e os motivos que levaram ele a cometer a violência, pois diz que ninguém fazia bullying com o autor da violência.

"Ele era um aluno muito tranquilo, ele não falava com ninguém, não conversava com ninguém”, contou a estudante. Na visão dos pais da jovem, porém, ele sabia exatamente o que estava fazendo. "Mas, por outro lado, é uma criança de 13 anos. Então, a gente tem que, eu acho que a sociedade como um todo, o estado, pai e mãe, acho que a família tem que acolher, acho que ele precisa de um tratamento”, disse Adriano Nascimento da Silva, pai de Anna.

Já a mãe da jovem avaliou que o estudante também é uma vítima. "Me preocupo com o que pode acontecer com ele mais tarde. Ele precisa ser cuidado, precisa ser acolhido, precisa ser tratado. Eu poderia estar pensando de outra forma se a minha filha não estivesse aqui. Mas, graças a Deus, ela está aqui. E ele tem uma mãe. E eu sou mãe”, disse.

{# Taboola Newsroom #}