Pais de João Pedro se emocionam no 'Encontro': ''Destruíram a minha família cruelmente''

Menino de 14 anos foi vítima durante uma ação policial no Rio de Janeiro

Da Redação Publicado quarta 20 maio, 2020

Menino de 14 anos foi vítima durante uma ação policial no Rio de Janeiro
Desaparecido desde segunda (18), o menino foi encontrado apenas na terça (17) no IML - Globo

Rafaela e Neilton, pais do menino João Pedro Mattos, concederam uma entrevista ao programa 'Encontro', exibido na manhã desta quarta-feira (20), para falar sobre a morte do filho, que tinha 14 anos e foi vítima de uma ação policial no Rio de Janeiro (RJ). 

"É um sentimento que não desejo para o meu pior inimigo. Perder um filho é como arrancar algo de dentro. Não tem explicação você perder uma criança que você amou em minutos. Tiraram o meu sonho, o sonho do meu filho, da minha família. Destruíram a minha família cruelmente. Ele estava numa casa junto com seu primo, com outros amigos, jogando no celular", lamentou o pai do jovem.

Neilton detalhou como foi chegar em casa após a operação da Polícia Federal (em conjunto com a Polícia Civil). "Chegamos e encontramos os adolescentes fora da casa, no chão, como bandidos, como porcos, como lixo. Coisa que eles não são. Cinco adolescentes, mas o total era seis. Faltava um. E esse um era o meu filho [...] Fomos encontrá-lo depois de 17 horas no IML (Instituto Médico Legal) com um tiro de fuzil, morto", continuou. 

Para a mãe de João Pedro, é inadmissível a falta de contato da polícia com a família, já que eles não avisaram sobre a morte do menino. "A minha esperança era encontrar ele com vida. Se eles realmente socorreram, por que não entraram em contato? Por que não levaram para um hospital perto? [...] Fomos encontrar somente no dia seguinte já no IML", analisou Rafaela.

"CREIO NA JUSTIÇA"

"Fica um sentimento de impunidade. Ele pedia para ir para a rua e eu ficava com medo de ter operação. Ele dizia: 'mãe, você me prende muito'. Nesse dia que ele foi para casa do primo, eu deixei ele ir. Fica um sentimento de muita tristeza. Eu não vi o meu filho, não pude dar um abraço nele. Tinha tanta esperança de encontrar ele com vida", declarou a mãe.

Neilton diz que tem esperança na Justiça, seja na do homem ou na de Deus. "Queria que o Estado nos procurasse. Estamos praticamente abandonados. Mas eu creio na justiça e ela vai ser feita. Creio na justiça aqui da Terra e, principalmente, na justiça de Deus. Ela vai ser feita, tenho certeza. Se a daqui da Terra não for [feita], a divina vai. Essa é minha esperança", concluiu.

A Delegacia de Homicídios de Niterói abriu inquérito para investigar a morte de João Pedro. O delegado Allan Duarte afirmou que a vítima era inocente.

Último acesso: 30 Nov 2021 - 19:51:09 (1111008).