AnaMaria

Papa Francisco elege primeira mulher para cargo na Secretaria de Estado do Vaticano

Papa Francisco nomeia mulher para cargo alto na Secretaria de Estado pela primeira vez

Da Redação Publicado em 16/01/2020, às 19h06 - Atualizado às 19h07

Papa Francisco emite comunicado e elege primeira mulher para cargo alto - Instagram/ @franciscus
Papa Francisco emite comunicado e elege primeira mulher para cargo alto - Instagram/ @franciscus

O Papa Francisco tomou uma decisão que marcará a história, nesta quinta-feira (16), pois nomeou uma mulher para ocupar um cargo alto na Secretaria de Estado, pela primeira vez.

O órgão, que é dominado por forças masculinas e é considerado o responsável por dominar a parte diplomática e administrativa do Vaticano, receberá a advogada italiana Francesca Di Giovanni, de 66 anos, como a mais nova subsecretária da seção de relações multilaterais.

O cargo, recentemente criado, é chamado de ‘Seção de Relações com Estados’ e corresponde a um posto de chefe de departamento em um ministério de um país.

A profissional ficará subordinada de maneira direta ao cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado. Acima de seu poderio estão apenas este, Papa Francisco e o arcebispo Paul Richard Gallagher.

Já no mesmo patamar que ela há apenas o subsecretário Monsenhor Miroslaw Wachowski, porém, ele é apenas responsável pelo setor da diplomacia bilaterial, que seriam as relações diretas do Vaticano com outros países.

O Vaticano liberou um comunicado na última quarta-feira (15), que confirmava a nomeação da especialista que cuidará do secretariado, local em que trabalha desde 1993.

Ao saber da notícia, a mulher se pronunciou em entrevista ao jornal do Vaticano, 'L’Osservatore Romano'.

“O Santo Padre tomou uma decisão inovadora, certamente, que representa um sinal de atenção para com as mulheres”, afirmou.

Di Giovani nasceu em Palermo e foi treinada pelo ‘Movimento dos Focolares’. Além disso, ela é considerada especialista em assuntos como migração, refugiados, direito internacional humanitário, status da mulher, propriedade intelectual e turismo.